25 de set de 2014

ONDE COMPRAR ANTIGUIDADES EM SÃO PAULO



O Centro e a região de Pinheiros são os locais mais apropriados para adquirir livros antigos. Para os colecionares de discos de vinil – os saudosos LPs – o lugar mais indicado é também a região central. Mas, para os apaixonados por móveis e objetos decorativos antigos, recomenda-se uma visita às feiras de antiguidades e lojas especializadas em outras regiões da cidade.
Veja nas próximas linhas onde comprar antiguidades em sebos, feiras especializadas e lojas de antiguidades.

DISCOS DE VINIL – Uma das melhores lojas de discos de rock, blues e outros estilos importados é a Baratos Afins, na Galeria do Rock. A quantidade de LPs de música brasileira é também bastante significativa. Mas caso você não encontre aquele disco do Tim Maia que tanto gostaria, recomenda-se uma visita à Galeria Nova Barão, a poucos metros dali. Localizadas no mezanino (basta subir a escada rolante), as lojas de vinil vendem de tudo um pouco. Com um pouco de paciência, é possível encontrar bem mais do que raridades de Tim Maia. Nenhuma loja, no entanto, chega aos pés do Sebo Jovem Guarda, no bairro da Mooca. O dono possuiu um acervo com nada menos que 1 milhão de LPs (pelo é o que ele afirma), dos mais variados estilos. Os discos não estão organizados por artistas ou estilo, o que exige um árduo trabalho de garimpagem para encontrar raridades. Mas vale a pena. Existem preciosidades para todos os gostos.

LIVROS – Nove de cada dez aficionados por livros fora de catálogo e raros, conhecem a praça João Mendes. Não sem motivos. É um dos locais com maior concentração de sebos da cidade de São Paulo. O mais procurado é o Sebo do Messias. Distribuídas em três andares, as prateleiras do Messias contém um mix variado de livros. De antigas coleções da Abril Cultural a mais recentes edições de Nicholas Sparks, pode-se encontrar de quase tudo. Com exceção da seção de revistas (uma bagunça inexplicável), os livros são organizados por área e ordem alfabética. Outro sebo bastante procurado é o Brandão, a  poucos metros da biblioteca Mário de Andrade. Além do catálogo diversificado, ele é muitíssimo bem organizado. Dá até receio de deixar algum livro fora do lugar. Mas caso não encontre a raridade desejada, vale pedir ajuda aos prestativos atendentes.

FEIRAS – A mais popular feira de antiguidades de São Paulo é, sem sobra de dúvida, a da praça Benedito Calixto, em Pinheiros. De móveis a gibis, de objetos de decoração a acessórios como bengalas, ela vende de quase tudo. A maior parte das pessoas que frequenta a Benedito Calixto, no entanto, quer mesmo é ver e ser vista. Você pode não encontrar aquele abajur em estilo art déco que tanto gostaria, mas vai se distrair bastante. A segunda feira mais popular é a do vão livre do MASP. Bem organizada, bem frequentada e bem protegida das intempéries, ela oferece objetos de fino bom gosto como pratos, talheres e sopeiras do início do século XX. Ainda mais sofisticada é a feira do MuBE – Museu Brasileiro da Escultura, na região dos Jardins. Os produtos à venda são de fino bom gosto, muitas vezes com preços elevadíssimos. Pena que o seu entorno seja um tanto morto (ou seja, ao contrário da Benedito Calixto, não existem bares, restaurantes ou qualquer outro atrativo por perto). Outra feira bastante procurada é a da praça, Dom Orioni, no Bexiga. É um excelente local para comprar quinquilharias, brinquedos antigos e até roupas. Aproveite as cantinas e antiquários do entorno.

ANTIQUÁRIOS – Um dos mais refinados antiquários de São Paulo é o Juliana Benfatti Antiguidades & Excentricidades, no Jardim Paulistano. Ele possui em seu estoque peças do século XVIII aos dias atuais, muitas de gosto refinadíssimo. São sofás estilo Luís XV, lustres Murano e poltronas de madeiras. Outro antiquário luxuoso é o Began Antiguidades. Para quem gosta de caçar preciosidades, ainda que para isso leve tempo, existem ainda opções como o Collectors, Passado Composto e o Country House Antiques.

INTERIOR – Itu é mais conhecida por ser a cidade onde tudo é grande (infelizmente, um potencial turístico que nunca foi bem explorado). Mas é também a cidade dos antiquários. A rua Paula Souza, no Centro, é o local mais indicado. Instalados em casarões históricos, os antiquários de Itu chamam a atenção pela quantidade de preciosidades e peças raras. Já fora encontradas obras do mestre Aleijadinho na cidade. O Tempo da Onça, Vitri D’Itália e Lila merecem uma visita. Conhecer um antiquário do interior pode ser um programa e tanto, dependendo da sua localização e seus atrativos. A vantagem de Itu é que ela oferece restaurantes, museus, igrejas históricas e passeios que valem a viagem. Ainda que você não compre nada! De São Paulo a Itu são cerca de 1h30 de viagem pela Castelo Branco.

Endereços:
Antiquário Tempo do Onça: Rua Paula Souza, 687 – Centro – Itu
Antiquário Lila: Rua Paula Souza, 607 – Centro – Itu
Antiquário Vitri I’tália: Rua Paula Souza, 546 – Centro – Itu
Baratos Afins: Av. São João, 439 2º andar - Lojas 314/318 – Centro
Began Antiguidades: R da Consolação, 2250 – Consolação
Collectors Antiguidades: Rua Melo Alves, 369 – Jardim Paulistano
Country House Antiques: R. Padre João Manuel, 1242 – Jardim América
Feira Praça Benedito Calixto: Praça Benedito Calixto – Pinheiros (aos sábados)
Feira do Bixiga: praça, Dom Orioni – Bexiga (aos domingos)
Feira MASP: Avenida Paulita, 1578 – Cerqueira César (aos domingos)
Feira Museu Brasileiro da Escultura (MuBE): Av. Europa, 218 – Jardim Europa (aos domingos)
Juliana Benfatti Antiguidades: R. Sampaio Vidal, 786 – Jardim Paulistano
Passado Composto: Rua da Consolação 3198 (Jardim Paulistano)
Sebo Brandão: R. Xavier de Toledo, 234 – Centro
Sebo do Messias: Praça Dr. João Mendes, 140 – Sé
Sebo Jovem Guarda: Rua da Moooca, 3.401 – Mooca

18 de set de 2014

7 MOTIVOS PARA UM PASSEIO DOMINICAL INESQUECÍVEL NO CENTRO DE SÃO PAULO


Uma das regiões mais movimentas de São Paulo durante os dias úteis é o Centro. Ruas como São Bento, Direita, Barão de Itapetininga, Quinze de Novembro e Álvares Penteado transformam-se em verdadeiros “formigueiros” humanos. Dependendo do dia do ano, endereços especializados como a 25 de Março e a Santa Ifigênia ficam praticamente intransitáveis.
Com algumas exceções (diga-se, 25 de Março), o movimento cai consideravelmente aos sábados. Nos domingos, o Centro vira um lugar fantasma. A multidão que nos horários de maior movimento toma os espaços dos calçadões simplesmente desaparece.
Mas o Centro não é um lugar morto! A agitação provocada pelo comércio e escritórios da região dá lugar a uma efervescência cultural irresistível.
Existem muitos lugares e coisas para ver aos domingos. Confira algumas nas próximas linhas.

IGREJAS – Muitos paulistanos e turistas que frequentam o Centro aos domingos costumam assistir missas como as da igreja do Mosteiro do Largo de São Bento. Realizada nas primeiras horas da manhã, elas são disputadíssimas. Pudera, é um dos poucos cultos na cidade com cantos gregorianos. Além de visitar a igreja do Largo - dedicada a nossa Senhora de Assunção -, é possível conhecer outras igrejas históricas, como a de Santo Antônio (na Praça do Patriarca), São Francisco de Assis (no Largo de São Francisco) e a Catedral da Sé. Outra boa pedida é o Pátio do Colégio com seu museu e café.

CENTROS CULTURAIS – Um dos centros culturais mais visitados da região é o Centro Cultural Banco do Brasil. Ele costuma realizar mostras como a do ilustrador holandês M. C. Escher, do pintor espanhol Pablo Picasso etc. Além de exposições, a Galeria Olido oferece mostras de cinema e cursos de dança. Embora menos conhecido, o Caixa Cultural abriga exposições de artistas brasileiros e estrangeiros.  

FEIRAS – As feiras mais conhecidas do Centro são a da Liberdade e a da Praça da República. Além de fazer uma ronda na feirinha da Liberdade, os visitantes podem conhecer as irresistíveis lojas do bairro. De sushis a quimonos, elas vendem uma imensa quantidade de produtos orientais. Vale a pena almoçar num dos restaurantes do pedaço. O grande atrativo da feira da Praça da República são as obras de arte. Os quadros e esculturas expostos na calçada tornam a feira uma das mais charmosas de São Paulo. É ainda possível comprar objetos de decoração, roupas, souvenires e até selos.

PARQUES E PRAÇAS – Para quem gosta de passear ao ar livre sem sair do Centro, as opções são variadas. Uma delas é a Praça da República com sua feira dominical (chamada ainda por muitos de feira hippie). Outra é o Vale do Anhangabaú, com seu pavimento largo e jardins. Aproveite para fotografar as esculturas e plantas do jardim do Teatro Municipal. Mas nenhum parque atrai mais gente do que o da Luz. Normalmente chamado de Jardim da Luz, ele é vizinho de três conhecidos museus: a Pinacoteca do Estado, o Museu da Língua Portuguesa e o Museu de Arte Sacra. As esculturas ao ar livre merecem ao menos um clique. O Parque da Luz é também um excelente local para fotografar aves. Fica ao lado da estação Luz do metrô.  

TEATROS – O Teatro Municipal (ou Theatro com “th”) é um ponto turístico muito procurado. Vale a pena acompanhar a programação e assistir um dos espetáculo de música ou dança oferecidos pelo Municipal. Para quem reclama da falta de tempo, existem visitas guiadas. É só preencher o formulário no site do teatro. O teatro do Centro Cultural Banco do Brasil também costuma realizar espetáculos. Para quem prefere andar um bocado, existem ainda os teatros da Praça Roosevelt, como o Espaço Parlapatões.

EVENTOS – A maioria dos palcos da Virada Cultural é montada no Centro, especialmente na avenida São João, Largo do Arouche, avenida Ipiranga e Vale do Anhangabaú. O único problema da Virada Cultural é que ele ocorre apenas uma vez por ano. A Virada Esportiva devia servir de consolo. Durante esse evento, o centro é totalmente adaptado para atividades esportivas como ciclismo, skate, capoeira etc.  Só não serve de consolo por que também é realizado uma vez ao ano. Palcos para shows também são montados no aniversário da cidade. O problema: uma vez por ano!

OUTRAS ATRAÇÕES – Cine Marabá, Catavento Cultural, Mercado Municipal (funciona até 13h), Teatro Renault, Sala São Paulo, Estação Pinacoteca, Bolsa de Valores (visitas guiadas), Edifício Martinelli (também com visitas guiadas).

Endereços:
Centro Cultural Banco do Brasil: Rua Álvares Penteado, 112 – Centro
Caixa Cultural: Praça Da Sé, 111 – Centro
Museu da Língua Portuguesa: Praça da Luz – Centro
Museu da Arte Sacra: Av. Tiradentes, 676 – Luz
Pinacoteca do Estado: Praça da Luz, 2 – Luz
Teatro Municipal: Praça Ramos de Azevedo, s/n – Centro
Galeria Olido: Avenida São João, 473 – Centro
Espaço Parlapatões: Praça Franklin Roosevelt, 158 – Consolação
Cine Marabá: Av. Ipiranga, 757 – República
Catavento Cultural: Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/n – Centro
Mercado Municipal: Rua da Cantareira, 306 – Centro
Teatro Renault: Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 411 – Consolação
Sala São Paulo: Praça Júlio Prestes, 16 – Luz
Estação Pinacoteca: Praça da Luz, 2 – Luz
Bovespa: Praça Antonio Prado, 48 – Centro
Edifício Martinelli: R. São Bento, 405 – Centro

11 de set de 2014

16 MOTIVOS PARA CURTIR A AVENIDA PAULISTA

 


PARQUE TRIANON - Possui bancos de praça, playground e inúmeras esculturas. É um dos melhores locais para ver espécies da Mata Atlântica (isso mesmo: em plena Paulista). Aos domingos abriga uma ótima feira de artesanato na entrada.

PARQUE  MÁRIO COVAS - Embora pequeno, é um ótimo lugar para descansar e deixar a vida passar. Possui bancos de praça e mesinhas, onde as pessoas costumam fazer piqueniques (em plena Paulista!).

CEMITÉRIO DA CONSOLAÇÃO - Situado a poucos metros da Paulista (poucas pessoas sabem, mas existem cerca de 5 cemitérios nas proximidades), o cemitério da Consolação é famoso pela arte tumular e número de pessoas famosas ali sepultadas. Possui mapas e guias turísticos. É só se informar na recepção.

FNAC - Considerada uma das melhores livrarias de São Paulo, a Fnac Paulista vende produtos eletrônicos, CDs, DVDs e, é claro, livros. O que é melhor: dá para passar horas apreciando os livros de arte.

LIVRARIA CULTURA - Motivos para ir lá pelo menos uma vez por mês: o café (onde é possível encontrar personalidades), o acervo de livros, o acervo de DVDs e CDs, os livros infantis, o teatro (sim, um teatro) e a livraria de artes.  Pegue um livro de fotografia, design ou artes plásticas e fique à vontade.

SHOPPING CENTER 3 - Embora pequeno, possui praça de alimentação e complexo de salas de cinema excelentes. Aos domingos, abriga uma feira de moda e arte alternativas.

SHOPPING FREI CANECA - Fica a apenas 10 minutos de caminhada da Paulista, na rua Frei Caneca. As melhores atrações são o teatro, o complexo de salas de cinema e a praça de alimentação. Público jovem e moderno.

SHOPPING PÁTIO PAULISTA - Localizado nas imediações da estação Brigadeiro do metrô, é o shopping mais sofisticado da região. Além de grifes famosas (Calvin Klein, Lacoste, Victor Hugo...), abriga lojas mais populares (Camicado, Drogaria São Paulo...). Possui ainda praça de alimentação e cinemas.

MASP - Chamado de Museu de Arte Assis Chateaubriand, o MASP é um dos principais museus do Brasil. Possui a mais abrangente coleção de arte do Hemisfério Sul. O acervo de arte renascentista, impressionista e moderna impressiona. Realiza exposições esporádicas, muitas com grande público. Abriga uma feira de antiguidade aos domingos.

CINE CAIXA BELAS ARTES - Reaberto em julho de 2014 como Caixa Belas Artes, o antigo Cine Belas Artes (com 68 anos de história) oferece diversas salas com poltronas confortáveis e som de ótima qualidade. Toda terceira sexta-feira do mês tem o Noitão, com exibição de 3 filmes até as 6h da manhã do dia seguinte. Realiza também diversas mostras por ano. É uma ótima pedida para quem detesta os filmes pop de Hollywood. Fica na esquina da Paulista com a Consolação.

CASA DAS ROSAS - Realiza exposições, palestras e cursos sobre literatura. Abriga a primeira biblioteca do país especializada em poesia. Construída por Ramos de Azevedo, a casa possui arquitetura incomparável. Pertinho da estação Brigadeiro do metrô.

ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA - Antigo Espaço Unibanco de Cinema, fica na rua Augusta. Oferece um mix variado de filmes, a maioria fora do circuito comercial. A livraria merece uma visita. É um ótimo local para ver gente interessante e iniciar um rolê pela região. Fica a 10 minutos de caminhada da Paulista.

RUA AUGUSTA - Imagine um lugar com bares, boates, lanchonetes e badalação a noite toda. E o que é melhor: pertinho da Paulista. E o que é ainda melhor: a poucos metros do metrô Consolação. Principais atrações: Espaço Itaú de Cinema, Ballroom, Lab, Vitrine, Outlaws, gente moderna...

CENTRO CULTURAL SÃO PAULO –- Reúne num só local biblioteca, teatro e espaço para exposições. Fica pertinho do metrô Paraíso e do shopping Pátio Paulista. Vale a pena conferir a programação.

FIESP - Além do teatro do SESI, abriga espaço para exposições. Vale passar em frente à noite para apreciar os efeitos de luzes.

EVENTOS - Alguns dos mais importantes eventos do país ocorrem na avenida Paulista, sempre uma vez por ano: a Parada do Orgulho LGBT, a Corrida de São Silvestre e o Show da Virada.

15 de jul de 2014

DICAS PARA QUEM VAI EM EXCURSÃO ESCOLAR PARA SÃO PAULO




Segue adiante cinco dicas de passeio para quem pretende ir a São Paulo em excursões escolares de finais de semana.


PASSEIO 01 – Museu da Língua Portuguesa e região da Luz

Além do Museu da Língua Portuguesa, é possível visitar no mesmo dia a Pinacoteca do Estado, o parque da Luz (com seu jardim de esculturas), a estação da Luz e o Museu de Arte Sacra.
Vantagem: todas as atrações são gratuitas aos sábados.
Desvantagem: não possui nenhum restaurante ou lanchonete decente por perto.


PASSEIO 02 – Avenida Paulista

MASP, Parque Trianon, shopping Center 3 são as principais atrações da Paulista aos sábados. É possível visitá-los numa só manhã.
Vantagem: possui muito lugares para comer, como a praça de alimentação do Center 3.
Desvantagem: não tem muitas atrações aos sábados (o melhor dia para ir na Paulista ainda é o domingo)


PASSEIO 03 – Parque do Ibirapuera

Considerado um dos oito melhores parques do mundo, o Ibirapuera oferece jardim de esculturas, áreas para a prática de esportes e muita área verde. É também endereço de alguns dos mais importantes pontos culturais da cidade, como o Museu de Arte Moderna, Museu Afro-Brasil e Planetário de São Paulo. Possui diversos monumentos no seu entorno como o Obelisco e o Monumento às Bandeiras.
Vantagem: é possível visitar diversas atrações sem andar muito.
Desvantagem: não há o que comer por perto. Os carrinhos credenciados só vendem salgadinhos, bolachinhas e refrigerantes.


PASSEIO 04 – Espaço Catavento

Localizado no Parque Dom Pedro, o Catavento é o principal museu e espaço interativo de ciências de São Paulo. Recentemente, inaugurou uma exposição sobre a evolução humana. Entre os pontos turísticos próximos estão o Mercado Municipal (chamado de Mercado da Cantareira), a Praça da Sé, a rua 25 de Março e o Pátio do Colégio.
Vantagem: é um lugar divertido e seguro.
Desvantagem: para encontrar algum lugar para comer, é preciso caminhar até o Mercado Municipal (que fica absurdamente cheio aos sábados) ou região central. Outro problema: o trânsito infernal das imediações.


PASSEIO 05 – Bairro da Liberdade

Próximo da Praça da Sé e de outros pontos do Centro, a Liberdade é facilmente acessível de metrô (basta descer na estação Liberdade da linha 1 – Azul). A feirinha de artes e artesanato atrai milhares de visitantes nos finais de semana. Mas o que realmente deixa os turistas encantados são as lojas de produtos orientais. Lá, é possível encontrar de macarrão instantâneo coreano a brinquedos colecionáveis japoneses. Outra atração imperdível são os restaurantes orientais. Além de restaurantes japoneses, o visitant epode optar pelos chineses ou – embora em menor número – coreanos. Se possível, experimente um sorvete Melona.
Vantagem: o que não falta é lugar para comer – inclusive comida brasileira.
Desvantagem: encontrar lugar para estacionar caso você resolva ir de carro.

18 de out de 2011

SUGESTÃO DE PASSEIO: PARANAPIACABA


Localizado no município de Santo André, o distrito de Paranapiacaba é um dos principais pontos de turismo ecológico da Grande São Paulo. De origem indígena, a palavra Paranapiacaba significa “de onde se avista o mar”. De fato, é realmente possível ver o mar de um dos pontos mais altos do distrito.
Construída para servir de residência e centro operacional dos funcionários da antiga companhia de transporte ferroviário São Paulo Railway, Paranapiacaba possui dezenas de prédios construídos em estilo inglês. A arquitetura é realmente chamativa e atraente. O Festival de Inverno de Paranapiacaba atrai todos os anos milhares de turistas para essa vila de Santo André. O Festival ocorre sempre nos meses de julho, quando a neblina e a garoa são constantes. Mas não é preciso esperar julho chegar para curtir Paranapiacaba. O distrito oferece atrações o ano todo. Uma das mais procuradas é justamente a área verde do entorno. As trilhas levam a cachoeiras, montanhas e grandes e selvagens trechos de Mata Atlântica. As caminhadas levam, no mínimo, duas horas e só podem ser feitas com o auxílio de guias locais. No mês de abril é realizado o delicioso Festival do Cambuci. 

Dicas: Não deixe de levar protetor solar e repelente de insetos, eles são muito úteis. Não esqueça também da câmera fotográfica. No inverno, vá bem agasalhado e não esqueça o guarda-chuva. Tome cuidado com a neblina, comum até no verão. Para chegar, basta pegar o trem até Rio Grande da Serra e embarcar no ônibus para Paranapiacaba. De automóvel, basta pegar a rodovia Índio Tibiriça na altura do Riacho Grande (em S. B. do Campo), seguir até o quilômetro 45,5 e pegar a SP-122 até Paranapiacaba.