26 de jan de 2011

SUGESTÃO DE PASSEIO: BIBLIOTECA MÁRIO DE ANDRADE


Fundada em 1925, a Biblioteca Mário de Andrade é a segunda maior do Brasil, perdendo apenas para a carioca Biblioteca Nacional. Foi inaugurada em 1926, na rua 7 de Abril tendo como único acerto as obras doadas pela Câmara Municipal de São Paulo.
O aumento do seu acervo fez com que a biblioteca mudasse para a Rua da Consolação, onde permanece até hoje. Recebeu o nome Mário de Andrade em 1960, em homenagem ao ex-chefe do Departamento de Cultura e Recreação de São Paulo e também escritor, poeta e músico.
O edifício foi projetado pelo francês Jacques Pilon e foi aberto ao público em 1943. O estilo é totalmente art déco, muito popular na época da sua construção. Possui 23 andares, sendo 22 para guardar apenas o acervo.
O acervo da biblioteca é vasto. São 320 mil volumes entre obras raras, mapas, livros de arte e acervo da biblioteca circulante.
Os livros da biblioteca circulante estão disponíveis para empréstimo. Basta fazer o cadastro para levar uma das 42 mil obras à disposição.
Cercada pelo verde da Praça Dom José Gaspar, a Mário de Andrade é um oásis no movimentado e frenético Centro de São Paulo. Os visitantes podem ler os jornais do dia e folhear o imenso acervo de revistas em circulação nas bancas de jornais do país.
Para os pesquisadores (e mesmo os curiosos), a biblioteca dispõe de um interessante acervo 51 mil itens especiais, inclusive livros. Para ter acesso a eles, é preciso fazer um cadastro e explicar por quê quer consultá-los. O acervo de jornais e revistas antigos também é interessante. O visitante pode folhear exemplares de revistas antigas como O Cruzeiro, Revista da Semana, Manchete e Fatos e Fotos, entre outras.

Dica: quando puder, visite também o Centro Cultural São Paulo, na rua Vergueiro. Além do imenso acervo de livros, você poderá contar com uma programação cultural extensa e quase toda gratuita.

Endereço: Rua da Consolação, 94 – Telefone: 3256-5270

Site: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bma/

11 de jan de 2011

SUGESTÃO DE PASSEIO: EDIFÍCIO MARTINELLI


Localizado entre a São Bento, Líbero Badaró e São João, o edifício Martinelli foi o primeiro arranha-céu de São Paulo. Foi projetado pelo imigrante italiano Giuseppe Martinelli. Possui 30 pavimentos e é ainda hoje um dos prédios mais altos do Centro Velho.
O Martinelli foi inaugurado em 1929, às vésperas da Revolução de 30. Ainda na época de sua construção, causava admiração e espanto pela sua altura na população paulistana e nos turistas que visitavam a cidade. Abrigou o Hotel São Bento e o Cine Rosário, um dos mais luxuosos da sua época. Foi sede de partidos políticos, clubes de futebol e empresas até começar a entrar em declínio entre as décadas de 60 e 70. A restauração ocorreu no final dos anos 70, sendo reinaugurado em 1979.
O curioso é que a casa do comendador Martinelli foi construída no topo do edifício – dizem que para provar que era seguro morar naquela altura.
Atualmente, o Martinelli abriga a Secretaria de Habitação da Prefeitura de São Paulo e o Sindicato dos Bancários, além de várias instituições e empresas.
Pouca gente sabe, mas é possível participar de visitas guiadas ao topo, de onde se tem uma magnífica vista da cidade. Vale a pena, principalmente para quem gosta de conhecer melhor o Centro e para quem aprecia fotografia. Não deixe de levar a câmera.
Para agendar uma visita, basta ligar ou entrar em contato pela internet.

Dica: ao visitar o Martinelli, aproveite para conhecer o edifício Altino Arantes, de onde é possível ter outra vista de tirar o fôlego da cidade. Se estiver com disposição para bater perna, aproveite para conhecer também a Bovespa e a igreja do Largo de São Bento.

Serviço: (11) 3104-2477 – E-mail: condmart@terra.com.br