27 de ago de 2010

SÃO PAULO, ALÉM DOS CARTÕES-POSTAIS


A avenida Paulista e a Liberdade são invadidas por hordas de turistas nos finais de semana. Em algumas ocasiões, é impossível circular na avenida Galvão Bueno, Liberdade, sem esbarrar em alguém. O próprio Vem Ver Sampa recomendou a Paulista e a Liberdade diversas vezes. Outros locais onde turistas parecem formigas em cima de doce são o Mercado da Cantareira (o nosso Mercado Municipal), a rua 25 de Março, o Pátio do Colégio, Estação da Luz e Instituto Butantã. Aliás, o Butantã é um dos pontos prediletos dos gringos.
O fato é que existe uma São Paulo que poucos turistas conhecem, uma cidade onde aglomerações de câmeras e de gente posando para foto são quase inexistentes. E o interessante é que são locais que encarnam/representam muito bem a rotina e o espírito da cidade. Quer realmente conhecer São Paulo? Experimente passear pelos locais citados abaixo:

MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA – Com projeto de Oscar Niemeyer e construído com o objetivo de ser um dos principais cartões-postais da cidade, o Memorial vive vazio. São poucos os visitantes que por lá circulam. É uma pena, pois o Memorial abriga um rico patrimônio arquitetônico e um imperdível centro cultural. Experimente conhecer o Pavilhão da Criatividade e seu acervo permanente de indumentárias, esculturas e objetos de uso cotidiano dos povos latino-americanos. A biblioteca do Memorial também merece uma visita. O que o torna ainda mais interessante é sua localização, a poucos metros do Parque da Água Branca, que nos finais de semana abriga uma feira de produtos naturais, e dos shoppings West Plaza e Bourbon. O programa é para o dia todo. O Memorial fica ao lado do terminal Barra Funda no bairro de mesmo nome.

CEASA – Localizado no bairro da Lapa, o Ceasa/Ceagesp é o maior entreposto da América Latina. É realmente imenso. São 44 ruas e 45 pavilhões de legumes, verduras, frutas, flores e carnes. Funciona praticamente 24 horas por dia, sete dias por semana. Esqueça o vai-e-vém dos carregadores e o blá-blá-blá de vendedores e compradores. Concentre-se nos aromas e na incrível diversidade de cores do Ceasa. A variedade (e quantidade) de frutas é de cair o queixo. Os varejões de quarta, sábado e domingo são uma boa opção de passeio e compras. Mas nada como a feira de flores, a maior do gênero no país, que acontece às terças e sexta-feiras no período da manhã. É impressionante. Chama atenção até dos turistas holandeses. Dá vontade de levar um vaso para casa, ainda que ela esteja no interior do Piauí. O melhor é agendar uma visita. Entre aqui e saiba como.

CIDADE UNIVERSITÁRIA/USP – Imagine um local com museus, monumentos, bibliotecas e ainda cercado de verde. Pois imaginou a Cidade Universitária da USP, no bairro do Butantã. Existem museus como o da educação e do brinquedo, arqueologia, de arte contemporânea e até do crime. Um dos mais interessantes é o Museu de Arte Contemporânea – MAC, próximo a Praça do Relógio (tel. 3091-3039). Outra instituição interessante é o Paço das Artes, na Avenida da Universidade (tel. 3814-4832). Com rico acervo de arte moderna e contemporânea o Paço abriga exposições temporárias e eventos. Vale a pena fazer uma visita. Tanto o Paço das Artes quanto o MAC fecham nas segundas-feiras.

PARQUE E PICO DO JARAGUÁ – Apesar de um pouco distante do Centro, o acesso é fácil. O maior atrativo do Parque do Jaraguá é o pico, que leva o mesmo nome do Parque. Situado a mais de mil metros do nível do mar, o Pico do Jaraguá pode ser visto de quase toda a cidade. Lá de cima, nos dias claros (e sem poluição), dá para avistar até a Serra do Mar, no outro extremo da cidade. O parque possui uma infra-estrutura boa, com áreas de lazer, banheiros e churrasqueiras. Quem estiver a fim de uma boa caminhada, pode subir o pico a pé. A trilha é estreita, percorre trechos de mata fechada, mas é atraente. Com um pouco de sorte, pode-se cruzar com animais silvestres como macacos-prego e saguis. Se o visitante não quiser caminhar, dá para subir por uma estrada asfaltada. Vista lá de cima, São Paulo é deslumbrante. Não deixe de levar a camera. Comida não é problema. Pode-se comprar lanches, salgadinhos, sorvetes e refrigerantes, mas eu recomendo a comida de casa mesmo. O único senão é o domingo, quando o parque fica absurdamente cheio.

PARQUE DA CANTAREIRA E HORTO FLORESTAL – Imagine um parque com quiosques, áreas de lazer, lagos,até feira de livro infantil e até animais soltos como capivaras e macacos. Assim é o Horto Florestal, na Zona Norte da Cidade. O lago é muito bonito e a mata exuberante. Quando for ao Horto, não esqueça da camera fotográfica. Nada melhor do que fotografá-lo num dia de sol. Outra vantagem do Horto é sua localização, ao lado do Parque Estadual da Serra da Cantareira. O turista mal sai de um e já está em outro. O Parque da Cantareira possui trilhas que levam a um lago com carpas (por pouco, os peixes vem comer na sua mão) e a chamada Pedra Grande, de onde se descortina uma hipnotizante visão da cidade. Para chegar à Pedra Grande é necessário paciência e fólego. A caminhada é longa, exige bom preparo físico. Outra coisa importante: lanche. Não deixe de levar algo para comer e beber, pois são horas de caminhada. Ao contrário do que muita gente pensa, as trilhas são asfaltadas e com bancos para descanso. O passeio é inesquecível e a vista de São Paulo é maravilhosa.

PARQUE DO ESTADO – Também chamado de Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, é lá que nasce o riacho que dá nome ao bairro vizinho e ao monumento em homenagem à Independência. A região do Parque do Estado é de fácil acesso pela rodovia dos Imigrantes e pelo metrô, que possui linhas de ônibus que passam em frente. Ela abriga o zoológico, jardim botânico e o Zôo Safári – antigo Simba Safari. Para conhecer cada uma dessas atrações é necessário um dia inteiro. O zoológico é um dos maiores do mundo. O jardim botânico, com seus lagos e estufas, dão a impressão de que estamos em outros mundo, não em São Paulo. No Zôo Safári, os visitantes podem circular entre animais soltos com a ajuda de um guia. Com exceção de alguns animais como os felinos, o contato é direto. O passeio tem duração de mais ou menos uma hora. Ideal para quem quer levar criaças. Todas as atrações possuem lugar para comer.

MEMORIAL DO IMIGRANTE – Situado numa região mais afastada do Centro (mais precisamente no bairro da Moóca), o Memorial do Imigrante foi fundado no prédio onde funcionava a antiga Hospedaria dos Imigrantes, construída entre 1886 e 1888. Era para lá que os imigrantes (portugueses, espanhóis, italianos, árabes, japoneses, armênios e outros) se dirigiam antes de seguir viagem -boa parte para as fazendas de café do interior. No seu acervo estão roupas típicas, instrumentos de trabalho, mobiliários e fotografias dos milhares de imigrantes que entraram no Estado de São Paulo. Quem quiser, pode fazer um passeio de Maria Fumaça. Só por curiosidade: o museu abriga uma pequena plantação de café. O telefone do Memorial é 2692-1866.

PARANAPIACABA – O Festival de Inverno de Paranapiacaba atrai todos os anos milhares de turistas para essa vila de Santo André. O Festival ocorre sempre nos meses de julho, quando a neblina e a garoa são constantes. Mas não é preciso esperar julho chegar para curtir Paranapiacaba. A vila oferece atrações o ano todo. Uma das mais procuradas atrações é justamente a área verde que fica ao lado. As trilhas levam a cachoeiras, montanhas e grandes e selvagens trechos de Mata Atlântica. As caminhadas levam, no mínimo, duas horas. Elas só podem ser feitas com guias locais. Não deixe de levar protetor solar e repelente de insetos, eles são muito úteis. Não esqueça também da câmera fotográfica. No mês de abril é realizado o delicioso Festival do Cambuci. Construída por operários ingleses, a vila é um charme. Para chegar, basta pegar o trem até Rio Grande da Serra e embarcar no ônibus para Paranapiacaba. Ela merece ser fotografada. Por falar nisso, você conhece a Estrada Velha de Santos? Mais informações, acesse aqui.

EDIFÍCIO MARTINELLI – O Martinelli é conhecido como o primeiro arranha-céu de São Paulo. Depois de dois anos de reforma, voltou a ser aberto ao público. As visitas devem ser agendadas (tel. 3104-247). Ao contrário do Altino Arantes (ex-Banespa), onde as filas nunca terminam e o acesso é por tempo curtíssimo, o Martinelli oferece visitas guiadas e longas (de até 20 minutos). Uma das maiores vantagens é a sua localização, no Centro Velho. Após apreciar a vista da cidade e a arquitetura do prédio, estique o passeio no Largo de São Bento, Viaduto do Chá, Praça da Sé, Pátio do Colégio…

3 de ago de 2010

ONDE COMER OS MELHORES DOCES DE SÃO PAULO


Por mais que tentasse, eu jamais conseguiria conhecer todas as docerias e sorveterias de São Paulo. Se pudesse experimentar todos os brigadeiros, chocolates, sorvetes, musses, brownies e bolos servidos nas docerias paulistanas, me sentiria no paraíso.
Mas nunca poderei. Que pena. E por dois motivos: não tenho tempo e, claro, sou um só. Para visitar as docerias, pâtisseries e sorveterias eu precisaria de, no mínimo, duas reencarnações.
Poucas cidades no mundo oferecem tanta variedade de doces e sorvetes quanto São Paulo. Dá para contar nos dedos as metrópoles que possuem igual quantidade de docerias.
Dizem que “só não há jeito para a morte”. Por isso, na impossibilidade de fazer minha tour “adocidada”, resolvi consultar amigos e varrer a internet a fim de descobrir o lado doce de São Paulo. Além de pesquisar em sites, folheei revistas como Veja São Paulo e Época São Paulo. Dei também algumas fuçadas nos jornais Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo e Diário de São Paulo.
Consegui dicas valiosas, da dar água na boca. Se você é fã de doces e adora sorvetes, vai adorá-las.

GULOSEIMAS COLORIDAS
Se é de CUPCAKES (os coloridos bolinhos americanos) que você gosta, não deixe de visitar a doceria Wondercakes, na rua Augusta. Há opções para todos os paladares: cupcakes com favas de Madagascar, com nozes e nozes, com baunilha… a opções são bastante variadas. Ao menos por enquanto, a Wondercakes é a única casa especializada nesse tipo de doce em São Paulo. O endereço é R. Augusta, 2542, Loja 1, Jardim Paulista.

O MAIS BRASILEIROS DOS DOCES
Responda rápido: qual o mais brasileiro dos doces? O BRIGADEIRO, é claro. Nenhum doce é mais querido em mais popular na terra brasilis do que o brigadeiro. É possível encontrá-lo até em sacolões de bairro. Nenhum lugar, porém, é igual a Brigaderia, loja do shopping Market Place. A loja tem quinze versões do doce. Há até uma versão com cobertura de macadâmia. Decorada de vermelho, a loja é muito sofisticada. As caixas de papelão são verdadeiras obras de arte. Detalhe: os brigadeiros são feitos com uma mistura de chocolate bela com francês. Irresistúvel.

OBRAS DE ARTE
Sabe aquelas vitrines que, só de bater o olho, dão água na boca? Assim é a vitrine da Sódoces, em Moema: uma verdadeira tentação. Preparados pelo chef Flavio Federico, os DOCES são coloridos e extremamente bonitos. Mais do que isso, são deliciosos. Federico é rigoroso no controle da qualidade de seus produtos. Nada passa sem o seu aval – inclusive temperatura, iluminação e umidade. Os sorvetes artesanais são preparados com matérias-primas frescas e sempre em pequenas quantidades. Entre os sorvetes, há alguns sabores “interessantes” como giaunduia com banana caramelada e coco com calda de goiaba. Uma das maiores atrações da Sódoces são os mini-doces. Não é exagero dizer que são pequenas obras de arte. A Sódoces fica na Alameda dos Arapanés, 540, Moema.

SABORES DO BRASIL
Entrar numa sorveteria e experimentar SORVETES DE FRUTAS TROPICAIS é uma experiência e tanto. Experimentar sorvetes de cupuaçu, tamarindo, pitanga, seriguela, açai, jabuticaba e umbu, então, é uma experiência inacreditável. A Mil Frutas não apenas oferece sorvetes dessas frutas, como tem um cardápio com mais de 250 sabores diferentes. Tem até sorvete de tapioca! É ver para crer. Ou melhor, é experimentar para crer. Nascida no Rio de Janeiro e com várias filiais na Cidade Maravilhosa (e cheia de encantos de encantos mil!!!), a Mil Frutas tem dois endereços em São Paulo, um no shopping Iguatemi e outro no Cidade Jardim. Se você não é chegado em frutas tropicais, ao menos experimente os sorvetes tradicionais e lights. A Mil Frutas não usa corantes, nem conservantes. Seus sorvetes são feitos com ingredientes selecionados e da melhor qualidade. Não vejo a hora do verão chegar.

TIPICAMENTE ARGENTINO
Quer comer o melhor ALFAJOR do mundo? Só na Argentina. Mas dá para experimentar alfajores inesquecíveis em São Paulo mesmo. Basta ir na Alfajores Itati, na Alameda Francisco Cardin, 56, Cerqueira César. Além do conhecidíssimo alfajor recheado com doce de leite, a Itati vende outras versões, como os recheados com goiabada, caju, café e limão. Não deixe de experimentar o alfajor com chocolate branco. Há outras opções de doces na loja.

CHURROS ESPANHÓIS
Você gosta de CHURROS? Se a resposta é sim, visite a Casa do Churro, no Tatuapé. A loja é especializada no autêntico churro espanhol. Há versões com doce de leite, chocolate e romeu e julieta. O mais exótico são os churro com mussarella, com frango com requeijão e com requeijão e catupiry. Um dos mais pedidos é o de sorvete (em uma bandeja com três bolas). Mas o que chama mesmo a atenção é o churro de roda. Com três metros de comprimento, o churro de roda enche uma caixa para viagem. A Casa do Churro fica na rua Rodrigues Barbosa, 232, no Tatuapé.
Um segredinho: se você não gosta de churros, pelo menos experimente as frutas carameladas da casa.

CHOCOLATES SOFISTICADOS
O que não falta em São Paulo são lojas especializadas em CHOCOLATE. As mais conhecidas (e populares, obviamente) são Cacau Brasil, Cacau Show e Kopenhagen. Uma das campeãos na preferência do público é a Chocolat du Jour. Com lojas no Itaim, Jardins, shopping Iguatemi e shopping Jardim Sul, a Cholat du Jour vende verdadeiras jóias em forma de bombons e trufas. Difícil decidir entre o bombom com champanhe, conhaque, cappuccino ou cachaça. As caixas de bombons são tão atraentes quanto os doces. A vontade é de levar várias só para cometer, nem que seja por poucos dias, o pecado da gula. Um detalhe muito importante: os chocolates da Chocolat du Jour foram eleitos os melhores da cidade pela revista Veja São Paulo por três anos consecutivos. A loja do Itaim Bibi fica rua Atilio Inoccenti, 32. A dos Jardins está na rua Haddock Lobo, 1672.

Outras docerias e sorveterias “inesquecíveis”:

Alaska Sorvetes Finos – R. Doutor Rafael de Barros, 70, Paraíso
Amor aos Pedaços – Av. Sumaré, 1078, Perdizes, e outros endereços*
Brunnela – R. Doutor Mário Ferraz, 479, Itaim Bibi*
Chocolate Des Arts – R. Diogo Jácome, 369, Vila Nova Conceição
Di Cunto – R. Borges de Figueiredo, 61
Doceria Cristallo – R. Oscar Freire, 914, Jardim Paulista*
Gelateria Parmalat – Shopping Jardim Sul, Av. Giovanni Gronchi, 5819, Vila Andrade*
Häagen–Dazs – R. Oscar Freire, 900, Jardim Paulista*
La Basque – R. Conselheiro Brotero, 1517, Higienópolis*
Le Pâtissier Boulangerie – R. José Félix de Oliveira, 820, Granja Viana
Le Vin Patisserie – Al. Tietê, 178, Jardim Paulista
Neuhaus – Shopping Iguatemi, Av. Faria Lima, 2232, Jardim Paulista
Pâtisserie Mara Mello – Al. Gabriel Monteiro da Silva, 1308
Sweet Brazil – Al. Ministro Rocha Azevedo, 1153, Jardim Paulista
Payard – Shopping Iguatemi

*Consulte outros endereços na internet