19 de jul de 2010

SÃO PAULO VAZIA

Imagine como fica a cidade de São Paulo durante os jogos da seleção brasileira pela Copa do Mundo. Imaginou? Pois é justamente o que mostram as fotos abaixo: uma cidade deserta.
Eu aproveitei alguns jogos da seleção brasileira pela Copa do Mundo da África do Sul para perambular por São Paulo e fotografar suas ruas vazias (ou quase vazia, pois descobri que nem todos são chegados em Copa do Mundo.
Fora alguns pontos de encontro como bares, restaurantes e o (movimentadíssimo) Vale do Anhangabaú, a maior parte das ruas estava entregue às môscas. Assim foi com a Radial Leste-Oeste (para quem não lembra, é a avenida que liga a Radial Leste e o Parque Dom Pedro ao Minhocão), a 23 de Maio, a Avenida do Estado e 25 de Março. Na 25 de Março, por onde passam cerca de 700.000 pessoas por dia (passando de 1 milhão nos dias que antecedem o Natal) não havia ninguém. Fazer caminhadas por uma 25 ou por um Minhocão deserto é uma experiência incomum, que poucas pessoas tiveram.
Eu queria chamar a atenção para o fato de que algumas fotos não foram tiradas nos dias de jogos, mas durante feriados prolongados.
Se quiser ver mais imagens de São Paulo vazia, acesse o meu flickr e confira a série PARA ONDE FORAM TODOS?.















6 de jul de 2010

PINHEIROS, UM DOS BAIRROS MAIS CATIVANTES DE SÃO PAULO


Pinheiros é, sem sombra de dúvida, um dos bairros mais apaixonantes de São Paulo. Claro que, como muitos distritos da cidade, possui engarrafamentos, poluição, barulho… A avenida Rebouças, por exemplo, sempre sofreu com os congestionamentos. É impossível imaginar vias como Henrique Schaumann, Brasil, Teodoro Sampaio, Cardeal Arcoverde e Faria Lima sem trânsito. Mas por outro lado, Pinheiros possui atrativos que, logo de cara, nos levam a esquecer dos congestionamentos, do barulho ensurdecedor das ruas e de todos os outros problemas. São atrativos como centros culturais, bares, restaurantes, shoppings e até cemitérios…
Cemitérios? Sim, experimente conhecer o Cemitério São Paulo e o do Araçá (que fica ali, pertinho). Você terá verdadeiras aulas de estética e história. No entanto, vamos esquecer os cemitérios e lembrar dos atrativos que fazem da “adensada” e “engarrafada” região de Pinheiros uma das mais cativantes da cidade de São Paulo.
Cativante? Isso mesmo. Pinheiro é cativante por que…

POSSUI ÓTIMOS SHOPPINGS – O Iguatemi, um dos mais sofisticados shoppings de São Paulo, fica na região de Pinheiros. O Eldorado (na esquina da Rebouças com a Marginal) e o Villa-Lobos (onde Pinheiros se encontra com a Lapa e o Jaguaré) também fazem parte da paisagem “pinheirense”. Se puder visite ao menos o Iguatemi. Você vai se surpreender com o luxo e a sofisticação do shopping. O Iguatemi possui filiais de lojas de alto padrão como Christian Louboutin (sapatos femininos), Ermenegildo Zegna (moda masculina), Tiffany (joalheria) e Louis Vuitton (bolsas). Até os restaurantes, lanchonetes e sorveterias (como as maravilhosas Häagen Dazs e Mil Frutas) impressionam pela sofisticação. Mas não se intimide, pois nem todas as lojas (e preços) são inacessíveis. A praça do relógio d’água, logo na entrada do shopping, é redecorada todos os anos e merece alguns cliques. São 330 lojas, 6 salas de cinema e um ambiente que faz a visita sempre valer a pena. Detalhe: inaugurado em 1966, o Iguatemi leva o status de primeiro shopping center do Brasil.

TEM ÓTIMOS RESTAURANTES – Se quiser conhecer restaurantes de grife e exclusivos, não precisa sair do Iguatemi. O Armani Caffe e o Gero fazem parte do mix de restaurantes do shopping. Outra opção é dar umas voltas no Itaim e Jardim Paulistano, dois bairros vizinhos de Pinheiros com a maior concentração de restaurantes do Brasil. Pinheiros é endereço do Don Curro, o melhor restaurante de cozinha espanhola da Grande São Paulo. Outro restaurante ótimo, indicado por nove de cada dez guias da cidade, é o japonês Jun Sakamoto. O Consulado Mineiro, a badalada casa de cozinha da terra de Juscelino e Tancredo, também fica em Pinheiros. Endereços: Don Curro (R. Alves Guimarães, 230), Jun Sakamoto (R. Lisboa, 55), Consulado Mineiro (Praça Benedito Calixto, 74).

TEM BAR QUE NÃO ACABA MAIS – Cerqueira César, Itaim e Pinheiros são os bairros campeões em número de bares e lanchonetes da Grande São Paulo. Pinheiros, por exemplo, tem bar que não acaba mais. Só para se ter uma idéia, alguns dos mais requisitados bares da cidade estão lá. Eles tornam a vida noturna do bairro inesquecível. Os mais recomendados são Ó do Borogodó (R. Horácio Lane, 21), Astor (R. Delfina, 193), Filial (R. Fidalga, 254), São Cristóvão (R. Aspicuelta, 533) e Melograno (R. Aspicuelta, 436). Experimente também o boteco Galinheiro Grill (R. Inácio Pereira da Rocha, 231), com seus galetos e suas mesinhas na calçada – de onde se pode conferir o movimento da região de Vila Madalena.

E A PRAÇA BENEDITO CALIXTO – Quem não conhece a feira de antiguidades da Praça Benedito Calixto, não sabe o que está perdendo. O que atrai nela não são apenas as barracas de móveis, objetos de decoração e discos antigos, mas as de alimentação. A barraca de pastel do Cícero é muito conhecida e extremamente movimentada. Os doces vendidos na praça são hits. Mas nada como conferir as feiras vizinhas (como a alternativa Como Assim?) e o movimento. Tem gente que frequenta a Benedito Calixto só para “ver gente”. De estudantes a artistas alternativos, de gente comum a personalidades, o público é bem eclético. As tardes de sábado são movimentadíssimas. Podendo, faça uma refeição no Consulado Mineiro ou tome um café no Franz, que ficam ao lado.

TEM TAMBÉM A AVENIDA PEDROSO DE MORAIS – O que a Pedroso de Moraes tem que as outras ruas de Pinheiros não tem? Resposta: sebos e livrarias. Muitos sebos, aliás! Se você é do tipo que aprecia uma boa leitura e gosta de estar por dentro das novidades literárias, visite a FNAC da rua dos Omaguás. Mas se gosta de garimpar raridades e achar boas ofertas experimente os sebos Avalovara, Universo, Dom Quixote, Alternativa e Red Star. Com exceções como o Red Star, quase todos tem endereço na Pedroso de Morais, um ao lado do outro. Muita gente faz questão de visitar a avenida aos sábados só para procurar raridades nos sebos e circular nos corredores da FNAC. Uma recomendação: a feirinha de arte em frente à FNAC também merece uma visita.

TEM ÓTIMOS ESPAÇOS CULTURAIS – Espaços de cultura e arte como a Casa de Cultura de Israel (R. Oscar Freire, 2.500), o Centro Brasileiro Britânico (R. Ferreira de Araújo , 741), o Centro Cultural Vila Madalena (Endereço: Rua Fradique Coutinho, 1395) e o Espaço Cultural Alberico Rodrigues (Praça Benedito Calixto, 159) são bem conhecidos dos moradores de Pinheiros. Os mais frequentados, no entanto, são o Sesc Pinheiros (rua Paes Leme, 195) com sua extensão programação cultural, e o Instituto Tomie Ohtake (Av. Faria Lima, 201). Inaugurado em 2001, o Instituto Tomi Ohtake oferece espaço para ateliês, livraria, loja de design, café e restaurante – além, claro de abrigar ótimas exposições de arte. As exposições costumam ser muito procuradas. Os visitantes mal chegam ao ITO e já ficam impressionados com as formas e cores do prédio (o projeto é de Ruy Ohtake, filho de Tomie). Vale a pena fazer uma visita.

OFERECE BONS EVENTOS – Uma pergunta: você conhece a Vila Madalena? Não? Pois experimente uma visita aos bares, restaurantes e espaços culturais da Vila. A Vila Madalena, que já foi até título de novela, possui ateliês que não acabam mais. São dezenas. Uma vez por ano, eles abrem as portas em um evento chamado Arte na Vila. Qualquer pessoa pode participar das oficinas culturais e até expôr seus trabalhos. Outro evento importante é a Feira da Vila Madalena, nas ruas Fradique Coutinho e Wisard. Ela oferece shows musicais, desfiles de blocos e… acredite, centenas de barracas de arte, artesanato e alimentação. É difícil arriscar o que impressiona mais: os shows (são mais de 30!), as barracas de artesanato ou as de alimentação. Importante: esses eventos ocorrem apenas uma vez por ano. O Arte na Vila é realizado em meados de março e a Feira da Vila por volta de agosto.

(Foto: detalhe do Instituto Tomie Ohtake)