2 de dez de 2010

DICAS: NATAL ILUMINADO EM SÃO PAULO


Já em clima de festas e de férias, o Vem Ver Sampa resolveu montar um delicioso roteiro de Natal para os paulistanos e os turistas que acreditam que o Natal é muito mais do que comércio e consumo.
Aproveite as dicas para passear a pé e se entreter com toda a família.

PAPAI NOEL NA PAULISTA – Em 2010, o palco do Réveillon na Paulista foi montado mais cedo para abrigar parte da decoração de Natal da cidade. Não deixe de ver também a decoração do Center 3, do Itaú Personnalité e dos Parques Trianon e Mário Covas. Se possível, observe atentamente a decoração externa do Conjunto Nacional, feita exclusivamente de material reciclado. Não perca as apresentações em frente ao prédio do Bradesco e em diversos locais da avenida. É show de bola.
Uma dica legal: o melhor dia para visitar a Paulista é o domingo e o melhor horário, a partír das 16h00. Além de apreciar a decoração de Natal, você e sua família poderão visitar a feirinha de artesanato do Trianon e a feira alternativa Como Assim?, no Center 3.

ÁRVORE DE NATAL NO IBIRAPUERA – A inauguração da árvore de Natal do Ibirapuera foi marcada para o dia 5 de dezembro de 2010. Como manda a tradição, ocorrerá uma queima de fogos durante a inauguração. O problema é que 11 de cada 10 paulistanos pretende passar por lá na mesma data. Portanto, se quiser curtir a árvore do Ibirapuera, espere mais alguns dias. A fonte e as árvores em torno do lago do Ibirapuera receberam luzes que tornam o local mais bonito à noite. Refletidas no lago, as luzes transformam o parque num lugar mágico. Ideal para levar as crianças.
Uma dica legal: se não puder ir à noite, não esquente a cabeça. O Parque do Ibirapuera já é uma atração à parte. Nesse final de ano, ele conta com uma exposição de jardins e com a Biena de Arte de São Paulo (até o início de dezembro). As crianças se divertirão no playground. Sem esquecer que o Ibirapuera tem o planetário, o MAM, o Monumento às Bandeiras…

LUZES NO ANHANGABAÚ – Imagine o Teatro Municipal, a prefeitura, o Viaduto do Chá, o Viaduto Santa Efigênia e todo o entorno do Vale do Anhangabaú decorado para o Natal. Imaginou? Pois, o que está esperando para visitar o local? O melhor local para avistar a decoração é o Viaduto do Chá, que nesse ano também receberá uma decoração especial.
Uma dica legal: se estiver a fim de bater perna, visite o Pátio do Colégio, ali pertinho, e veja a sua decoração de Natal.

CORES NA PONTE ESTAIADA – O passeio dificilmente pode ser feito à pé e é um programa tão rápido quanto uma vinheta de Natal na TV. Mas vale a pena. Desde que foi inaugurada, a ponte estaiada Octávio Frias de Oliveira é iluminada nessa época do ano. Em 2010, ela representará o espírito de Natal da cidade. Você pode escolher em que ritmo a capital está pulsando e como está se sentindo votando no site www.telefonica.com.br/ponteiluminada. De acordo com a votação pela internet, as cores correspondentes serão usadas na ponte: feliz (amarelo), paz (branco), conectada (azul), amor (vermelho), esperança (verde).
Uma dica legal: visite o maravilhoso shopping Morumbi, na avenida Roque Petroni Jr., 1.089, a poucos metros da ponte. Além de ser o melhor shopping, ele possui a melhor praça de alimentação de São Paulo. De quebra, você ainda pode fazer uma comprinhas e apreciar a decoração de Natal do shopping.

Veja a programação completa de Natal na cidade de São Paulo clicando aqui.

Quer saber mais sobre a decoração de Natal dos shoppings de São Paulo? Então, entre aqui.

Curiosidades sobre o Ano Novo e o Natal? Entre aqui.

10 de set de 2010

CONHEÇA OS MONUMENTOS DE SÃO PAULO

São Paulo é uma imensa galeria de arte. É possível encontrar instalações, pinturas e esculturas em quase todas as estações de metrô, além de diversas ruas, parques e praças da cidade.
Visitar o Parque da Luz, por exemplo, pode ser uma experiência incrível. O parque é cercado de monumentos arquitetônicos como a Estação da Luz, a Pinacoteca do Estado, a estação Júlio Prestes e o Museu de Arte Sacra. Além disso, possui monumentos e obras de arte espalhadas por todos os cantos.
O Parque do Ibirapuera também é inesquecível. Poucos lugares na cidade possuem tantos monumentos (como o Monumento às Bandeiras e o Obelisco), edifícios modernos (como a Oca e o prédio da Bienal, ambos de Niemeyer) e obras de arte. Situado entre o MAM (ele mesmo um museu de arte) e a Oca, o Jardim das Esculturas convida os visitantes a interagirem com as obras. É impossível resistir. Leve uma câmera.
Outro local interessante é a Avenida Paulista. Esquece os modernos arranha-céus e visite o Parque Trianon, além do vizinho MASP. A quantidade de monumentos e obras artísticas chama muito a atenção.
Mas nada como o Centro! Praça da Sé, Praça da República, Largo de São Francisco, Largo do Arouche e Vale do Anhangabaú concentram boa parte das esculturas e monumentos da região. Vale uma visita aos jardins do Teatro Municipal. Visite também o Largo do Arouche, um dos locais com maior número de obras de arte de São Paulo.

Para mais informações sobre os monumentos da cidade, veja o site Monumentos de São Paulo

Abaixo, uma galeria com alguns desses monumentos.

Monumento a Alfredo Maia (Amedeo Zani) - Praça Júlio Prestes

Monumento a Anhanguera (Luiz Brizzolara) - Parque Trianon/Avenida Paulista

Giuseppe Verdi (Amedeo Zani) - Vale do Anhangabaú

Depois do Banho (Victor Brecheret) - Largo do Arouche

A Menina e o Bezerro (Luiz Christophe) - Largo do Arouche


(Se quiser conferir minha galeria de fotos no Flickr sobre os Monumentos de São Paulo, clique aqui.)

27 de ago de 2010

SÃO PAULO, ALÉM DOS CARTÕES-POSTAIS


A avenida Paulista e a Liberdade são invadidas por hordas de turistas nos finais de semana. Em algumas ocasiões, é impossível circular na avenida Galvão Bueno, Liberdade, sem esbarrar em alguém. O próprio Vem Ver Sampa recomendou a Paulista e a Liberdade diversas vezes. Outros locais onde turistas parecem formigas em cima de doce são o Mercado da Cantareira (o nosso Mercado Municipal), a rua 25 de Março, o Pátio do Colégio, Estação da Luz e Instituto Butantã. Aliás, o Butantã é um dos pontos prediletos dos gringos.
O fato é que existe uma São Paulo que poucos turistas conhecem, uma cidade onde aglomerações de câmeras e de gente posando para foto são quase inexistentes. E o interessante é que são locais que encarnam/representam muito bem a rotina e o espírito da cidade. Quer realmente conhecer São Paulo? Experimente passear pelos locais citados abaixo:

MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA – Com projeto de Oscar Niemeyer e construído com o objetivo de ser um dos principais cartões-postais da cidade, o Memorial vive vazio. São poucos os visitantes que por lá circulam. É uma pena, pois o Memorial abriga um rico patrimônio arquitetônico e um imperdível centro cultural. Experimente conhecer o Pavilhão da Criatividade e seu acervo permanente de indumentárias, esculturas e objetos de uso cotidiano dos povos latino-americanos. A biblioteca do Memorial também merece uma visita. O que o torna ainda mais interessante é sua localização, a poucos metros do Parque da Água Branca, que nos finais de semana abriga uma feira de produtos naturais, e dos shoppings West Plaza e Bourbon. O programa é para o dia todo. O Memorial fica ao lado do terminal Barra Funda no bairro de mesmo nome.

CEASA – Localizado no bairro da Lapa, o Ceasa/Ceagesp é o maior entreposto da América Latina. É realmente imenso. São 44 ruas e 45 pavilhões de legumes, verduras, frutas, flores e carnes. Funciona praticamente 24 horas por dia, sete dias por semana. Esqueça o vai-e-vém dos carregadores e o blá-blá-blá de vendedores e compradores. Concentre-se nos aromas e na incrível diversidade de cores do Ceasa. A variedade (e quantidade) de frutas é de cair o queixo. Os varejões de quarta, sábado e domingo são uma boa opção de passeio e compras. Mas nada como a feira de flores, a maior do gênero no país, que acontece às terças e sexta-feiras no período da manhã. É impressionante. Chama atenção até dos turistas holandeses. Dá vontade de levar um vaso para casa, ainda que ela esteja no interior do Piauí. O melhor é agendar uma visita. Entre aqui e saiba como.

CIDADE UNIVERSITÁRIA/USP – Imagine um local com museus, monumentos, bibliotecas e ainda cercado de verde. Pois imaginou a Cidade Universitária da USP, no bairro do Butantã. Existem museus como o da educação e do brinquedo, arqueologia, de arte contemporânea e até do crime. Um dos mais interessantes é o Museu de Arte Contemporânea – MAC, próximo a Praça do Relógio (tel. 3091-3039). Outra instituição interessante é o Paço das Artes, na Avenida da Universidade (tel. 3814-4832). Com rico acervo de arte moderna e contemporânea o Paço abriga exposições temporárias e eventos. Vale a pena fazer uma visita. Tanto o Paço das Artes quanto o MAC fecham nas segundas-feiras.

PARQUE E PICO DO JARAGUÁ – Apesar de um pouco distante do Centro, o acesso é fácil. O maior atrativo do Parque do Jaraguá é o pico, que leva o mesmo nome do Parque. Situado a mais de mil metros do nível do mar, o Pico do Jaraguá pode ser visto de quase toda a cidade. Lá de cima, nos dias claros (e sem poluição), dá para avistar até a Serra do Mar, no outro extremo da cidade. O parque possui uma infra-estrutura boa, com áreas de lazer, banheiros e churrasqueiras. Quem estiver a fim de uma boa caminhada, pode subir o pico a pé. A trilha é estreita, percorre trechos de mata fechada, mas é atraente. Com um pouco de sorte, pode-se cruzar com animais silvestres como macacos-prego e saguis. Se o visitante não quiser caminhar, dá para subir por uma estrada asfaltada. Vista lá de cima, São Paulo é deslumbrante. Não deixe de levar a camera. Comida não é problema. Pode-se comprar lanches, salgadinhos, sorvetes e refrigerantes, mas eu recomendo a comida de casa mesmo. O único senão é o domingo, quando o parque fica absurdamente cheio.

PARQUE DA CANTAREIRA E HORTO FLORESTAL – Imagine um parque com quiosques, áreas de lazer, lagos,até feira de livro infantil e até animais soltos como capivaras e macacos. Assim é o Horto Florestal, na Zona Norte da Cidade. O lago é muito bonito e a mata exuberante. Quando for ao Horto, não esqueça da camera fotográfica. Nada melhor do que fotografá-lo num dia de sol. Outra vantagem do Horto é sua localização, ao lado do Parque Estadual da Serra da Cantareira. O turista mal sai de um e já está em outro. O Parque da Cantareira possui trilhas que levam a um lago com carpas (por pouco, os peixes vem comer na sua mão) e a chamada Pedra Grande, de onde se descortina uma hipnotizante visão da cidade. Para chegar à Pedra Grande é necessário paciência e fólego. A caminhada é longa, exige bom preparo físico. Outra coisa importante: lanche. Não deixe de levar algo para comer e beber, pois são horas de caminhada. Ao contrário do que muita gente pensa, as trilhas são asfaltadas e com bancos para descanso. O passeio é inesquecível e a vista de São Paulo é maravilhosa.

PARQUE DO ESTADO – Também chamado de Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, é lá que nasce o riacho que dá nome ao bairro vizinho e ao monumento em homenagem à Independência. A região do Parque do Estado é de fácil acesso pela rodovia dos Imigrantes e pelo metrô, que possui linhas de ônibus que passam em frente. Ela abriga o zoológico, jardim botânico e o Zôo Safári – antigo Simba Safari. Para conhecer cada uma dessas atrações é necessário um dia inteiro. O zoológico é um dos maiores do mundo. O jardim botânico, com seus lagos e estufas, dão a impressão de que estamos em outros mundo, não em São Paulo. No Zôo Safári, os visitantes podem circular entre animais soltos com a ajuda de um guia. Com exceção de alguns animais como os felinos, o contato é direto. O passeio tem duração de mais ou menos uma hora. Ideal para quem quer levar criaças. Todas as atrações possuem lugar para comer.

MEMORIAL DO IMIGRANTE – Situado numa região mais afastada do Centro (mais precisamente no bairro da Moóca), o Memorial do Imigrante foi fundado no prédio onde funcionava a antiga Hospedaria dos Imigrantes, construída entre 1886 e 1888. Era para lá que os imigrantes (portugueses, espanhóis, italianos, árabes, japoneses, armênios e outros) se dirigiam antes de seguir viagem -boa parte para as fazendas de café do interior. No seu acervo estão roupas típicas, instrumentos de trabalho, mobiliários e fotografias dos milhares de imigrantes que entraram no Estado de São Paulo. Quem quiser, pode fazer um passeio de Maria Fumaça. Só por curiosidade: o museu abriga uma pequena plantação de café. O telefone do Memorial é 2692-1866.

PARANAPIACABA – O Festival de Inverno de Paranapiacaba atrai todos os anos milhares de turistas para essa vila de Santo André. O Festival ocorre sempre nos meses de julho, quando a neblina e a garoa são constantes. Mas não é preciso esperar julho chegar para curtir Paranapiacaba. A vila oferece atrações o ano todo. Uma das mais procuradas atrações é justamente a área verde que fica ao lado. As trilhas levam a cachoeiras, montanhas e grandes e selvagens trechos de Mata Atlântica. As caminhadas levam, no mínimo, duas horas. Elas só podem ser feitas com guias locais. Não deixe de levar protetor solar e repelente de insetos, eles são muito úteis. Não esqueça também da câmera fotográfica. No mês de abril é realizado o delicioso Festival do Cambuci. Construída por operários ingleses, a vila é um charme. Para chegar, basta pegar o trem até Rio Grande da Serra e embarcar no ônibus para Paranapiacaba. Ela merece ser fotografada. Por falar nisso, você conhece a Estrada Velha de Santos? Mais informações, acesse aqui.

EDIFÍCIO MARTINELLI – O Martinelli é conhecido como o primeiro arranha-céu de São Paulo. Depois de dois anos de reforma, voltou a ser aberto ao público. As visitas devem ser agendadas (tel. 3104-247). Ao contrário do Altino Arantes (ex-Banespa), onde as filas nunca terminam e o acesso é por tempo curtíssimo, o Martinelli oferece visitas guiadas e longas (de até 20 minutos). Uma das maiores vantagens é a sua localização, no Centro Velho. Após apreciar a vista da cidade e a arquitetura do prédio, estique o passeio no Largo de São Bento, Viaduto do Chá, Praça da Sé, Pátio do Colégio…

3 de ago de 2010

ONDE COMER OS MELHORES DOCES DE SÃO PAULO


Por mais que tentasse, eu jamais conseguiria conhecer todas as docerias e sorveterias de São Paulo. Se pudesse experimentar todos os brigadeiros, chocolates, sorvetes, musses, brownies e bolos servidos nas docerias paulistanas, me sentiria no paraíso.
Mas nunca poderei. Que pena. E por dois motivos: não tenho tempo e, claro, sou um só. Para visitar as docerias, pâtisseries e sorveterias eu precisaria de, no mínimo, duas reencarnações.
Poucas cidades no mundo oferecem tanta variedade de doces e sorvetes quanto São Paulo. Dá para contar nos dedos as metrópoles que possuem igual quantidade de docerias.
Dizem que “só não há jeito para a morte”. Por isso, na impossibilidade de fazer minha tour “adocidada”, resolvi consultar amigos e varrer a internet a fim de descobrir o lado doce de São Paulo. Além de pesquisar em sites, folheei revistas como Veja São Paulo e Época São Paulo. Dei também algumas fuçadas nos jornais Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo e Diário de São Paulo.
Consegui dicas valiosas, da dar água na boca. Se você é fã de doces e adora sorvetes, vai adorá-las.

GULOSEIMAS COLORIDAS
Se é de CUPCAKES (os coloridos bolinhos americanos) que você gosta, não deixe de visitar a doceria Wondercakes, na rua Augusta. Há opções para todos os paladares: cupcakes com favas de Madagascar, com nozes e nozes, com baunilha… a opções são bastante variadas. Ao menos por enquanto, a Wondercakes é a única casa especializada nesse tipo de doce em São Paulo. O endereço é R. Augusta, 2542, Loja 1, Jardim Paulista.

O MAIS BRASILEIROS DOS DOCES
Responda rápido: qual o mais brasileiro dos doces? O BRIGADEIRO, é claro. Nenhum doce é mais querido em mais popular na terra brasilis do que o brigadeiro. É possível encontrá-lo até em sacolões de bairro. Nenhum lugar, porém, é igual a Brigaderia, loja do shopping Market Place. A loja tem quinze versões do doce. Há até uma versão com cobertura de macadâmia. Decorada de vermelho, a loja é muito sofisticada. As caixas de papelão são verdadeiras obras de arte. Detalhe: os brigadeiros são feitos com uma mistura de chocolate bela com francês. Irresistúvel.

OBRAS DE ARTE
Sabe aquelas vitrines que, só de bater o olho, dão água na boca? Assim é a vitrine da Sódoces, em Moema: uma verdadeira tentação. Preparados pelo chef Flavio Federico, os DOCES são coloridos e extremamente bonitos. Mais do que isso, são deliciosos. Federico é rigoroso no controle da qualidade de seus produtos. Nada passa sem o seu aval – inclusive temperatura, iluminação e umidade. Os sorvetes artesanais são preparados com matérias-primas frescas e sempre em pequenas quantidades. Entre os sorvetes, há alguns sabores “interessantes” como giaunduia com banana caramelada e coco com calda de goiaba. Uma das maiores atrações da Sódoces são os mini-doces. Não é exagero dizer que são pequenas obras de arte. A Sódoces fica na Alameda dos Arapanés, 540, Moema.

SABORES DO BRASIL
Entrar numa sorveteria e experimentar SORVETES DE FRUTAS TROPICAIS é uma experiência e tanto. Experimentar sorvetes de cupuaçu, tamarindo, pitanga, seriguela, açai, jabuticaba e umbu, então, é uma experiência inacreditável. A Mil Frutas não apenas oferece sorvetes dessas frutas, como tem um cardápio com mais de 250 sabores diferentes. Tem até sorvete de tapioca! É ver para crer. Ou melhor, é experimentar para crer. Nascida no Rio de Janeiro e com várias filiais na Cidade Maravilhosa (e cheia de encantos de encantos mil!!!), a Mil Frutas tem dois endereços em São Paulo, um no shopping Iguatemi e outro no Cidade Jardim. Se você não é chegado em frutas tropicais, ao menos experimente os sorvetes tradicionais e lights. A Mil Frutas não usa corantes, nem conservantes. Seus sorvetes são feitos com ingredientes selecionados e da melhor qualidade. Não vejo a hora do verão chegar.

TIPICAMENTE ARGENTINO
Quer comer o melhor ALFAJOR do mundo? Só na Argentina. Mas dá para experimentar alfajores inesquecíveis em São Paulo mesmo. Basta ir na Alfajores Itati, na Alameda Francisco Cardin, 56, Cerqueira César. Além do conhecidíssimo alfajor recheado com doce de leite, a Itati vende outras versões, como os recheados com goiabada, caju, café e limão. Não deixe de experimentar o alfajor com chocolate branco. Há outras opções de doces na loja.

CHURROS ESPANHÓIS
Você gosta de CHURROS? Se a resposta é sim, visite a Casa do Churro, no Tatuapé. A loja é especializada no autêntico churro espanhol. Há versões com doce de leite, chocolate e romeu e julieta. O mais exótico são os churro com mussarella, com frango com requeijão e com requeijão e catupiry. Um dos mais pedidos é o de sorvete (em uma bandeja com três bolas). Mas o que chama mesmo a atenção é o churro de roda. Com três metros de comprimento, o churro de roda enche uma caixa para viagem. A Casa do Churro fica na rua Rodrigues Barbosa, 232, no Tatuapé.
Um segredinho: se você não gosta de churros, pelo menos experimente as frutas carameladas da casa.

CHOCOLATES SOFISTICADOS
O que não falta em São Paulo são lojas especializadas em CHOCOLATE. As mais conhecidas (e populares, obviamente) são Cacau Brasil, Cacau Show e Kopenhagen. Uma das campeãos na preferência do público é a Chocolat du Jour. Com lojas no Itaim, Jardins, shopping Iguatemi e shopping Jardim Sul, a Cholat du Jour vende verdadeiras jóias em forma de bombons e trufas. Difícil decidir entre o bombom com champanhe, conhaque, cappuccino ou cachaça. As caixas de bombons são tão atraentes quanto os doces. A vontade é de levar várias só para cometer, nem que seja por poucos dias, o pecado da gula. Um detalhe muito importante: os chocolates da Chocolat du Jour foram eleitos os melhores da cidade pela revista Veja São Paulo por três anos consecutivos. A loja do Itaim Bibi fica rua Atilio Inoccenti, 32. A dos Jardins está na rua Haddock Lobo, 1672.

Outras docerias e sorveterias “inesquecíveis”:

Alaska Sorvetes Finos – R. Doutor Rafael de Barros, 70, Paraíso
Amor aos Pedaços – Av. Sumaré, 1078, Perdizes, e outros endereços*
Brunnela – R. Doutor Mário Ferraz, 479, Itaim Bibi*
Chocolate Des Arts – R. Diogo Jácome, 369, Vila Nova Conceição
Di Cunto – R. Borges de Figueiredo, 61
Doceria Cristallo – R. Oscar Freire, 914, Jardim Paulista*
Gelateria Parmalat – Shopping Jardim Sul, Av. Giovanni Gronchi, 5819, Vila Andrade*
Häagen–Dazs – R. Oscar Freire, 900, Jardim Paulista*
La Basque – R. Conselheiro Brotero, 1517, Higienópolis*
Le Pâtissier Boulangerie – R. José Félix de Oliveira, 820, Granja Viana
Le Vin Patisserie – Al. Tietê, 178, Jardim Paulista
Neuhaus – Shopping Iguatemi, Av. Faria Lima, 2232, Jardim Paulista
Pâtisserie Mara Mello – Al. Gabriel Monteiro da Silva, 1308
Sweet Brazil – Al. Ministro Rocha Azevedo, 1153, Jardim Paulista
Payard – Shopping Iguatemi

*Consulte outros endereços na internet

19 de jul de 2010

SÃO PAULO VAZIA

Imagine como fica a cidade de São Paulo durante os jogos da seleção brasileira pela Copa do Mundo. Imaginou? Pois é justamente o que mostram as fotos abaixo: uma cidade deserta.
Eu aproveitei alguns jogos da seleção brasileira pela Copa do Mundo da África do Sul para perambular por São Paulo e fotografar suas ruas vazias (ou quase vazia, pois descobri que nem todos são chegados em Copa do Mundo.
Fora alguns pontos de encontro como bares, restaurantes e o (movimentadíssimo) Vale do Anhangabaú, a maior parte das ruas estava entregue às môscas. Assim foi com a Radial Leste-Oeste (para quem não lembra, é a avenida que liga a Radial Leste e o Parque Dom Pedro ao Minhocão), a 23 de Maio, a Avenida do Estado e 25 de Março. Na 25 de Março, por onde passam cerca de 700.000 pessoas por dia (passando de 1 milhão nos dias que antecedem o Natal) não havia ninguém. Fazer caminhadas por uma 25 ou por um Minhocão deserto é uma experiência incomum, que poucas pessoas tiveram.
Eu queria chamar a atenção para o fato de que algumas fotos não foram tiradas nos dias de jogos, mas durante feriados prolongados.
Se quiser ver mais imagens de São Paulo vazia, acesse o meu flickr e confira a série PARA ONDE FORAM TODOS?.















6 de jul de 2010

PINHEIROS, UM DOS BAIRROS MAIS CATIVANTES DE SÃO PAULO


Pinheiros é, sem sombra de dúvida, um dos bairros mais apaixonantes de São Paulo. Claro que, como muitos distritos da cidade, possui engarrafamentos, poluição, barulho… A avenida Rebouças, por exemplo, sempre sofreu com os congestionamentos. É impossível imaginar vias como Henrique Schaumann, Brasil, Teodoro Sampaio, Cardeal Arcoverde e Faria Lima sem trânsito. Mas por outro lado, Pinheiros possui atrativos que, logo de cara, nos levam a esquecer dos congestionamentos, do barulho ensurdecedor das ruas e de todos os outros problemas. São atrativos como centros culturais, bares, restaurantes, shoppings e até cemitérios…
Cemitérios? Sim, experimente conhecer o Cemitério São Paulo e o do Araçá (que fica ali, pertinho). Você terá verdadeiras aulas de estética e história. No entanto, vamos esquecer os cemitérios e lembrar dos atrativos que fazem da “adensada” e “engarrafada” região de Pinheiros uma das mais cativantes da cidade de São Paulo.
Cativante? Isso mesmo. Pinheiro é cativante por que…

POSSUI ÓTIMOS SHOPPINGS – O Iguatemi, um dos mais sofisticados shoppings de São Paulo, fica na região de Pinheiros. O Eldorado (na esquina da Rebouças com a Marginal) e o Villa-Lobos (onde Pinheiros se encontra com a Lapa e o Jaguaré) também fazem parte da paisagem “pinheirense”. Se puder visite ao menos o Iguatemi. Você vai se surpreender com o luxo e a sofisticação do shopping. O Iguatemi possui filiais de lojas de alto padrão como Christian Louboutin (sapatos femininos), Ermenegildo Zegna (moda masculina), Tiffany (joalheria) e Louis Vuitton (bolsas). Até os restaurantes, lanchonetes e sorveterias (como as maravilhosas Häagen Dazs e Mil Frutas) impressionam pela sofisticação. Mas não se intimide, pois nem todas as lojas (e preços) são inacessíveis. A praça do relógio d’água, logo na entrada do shopping, é redecorada todos os anos e merece alguns cliques. São 330 lojas, 6 salas de cinema e um ambiente que faz a visita sempre valer a pena. Detalhe: inaugurado em 1966, o Iguatemi leva o status de primeiro shopping center do Brasil.

TEM ÓTIMOS RESTAURANTES – Se quiser conhecer restaurantes de grife e exclusivos, não precisa sair do Iguatemi. O Armani Caffe e o Gero fazem parte do mix de restaurantes do shopping. Outra opção é dar umas voltas no Itaim e Jardim Paulistano, dois bairros vizinhos de Pinheiros com a maior concentração de restaurantes do Brasil. Pinheiros é endereço do Don Curro, o melhor restaurante de cozinha espanhola da Grande São Paulo. Outro restaurante ótimo, indicado por nove de cada dez guias da cidade, é o japonês Jun Sakamoto. O Consulado Mineiro, a badalada casa de cozinha da terra de Juscelino e Tancredo, também fica em Pinheiros. Endereços: Don Curro (R. Alves Guimarães, 230), Jun Sakamoto (R. Lisboa, 55), Consulado Mineiro (Praça Benedito Calixto, 74).

TEM BAR QUE NÃO ACABA MAIS – Cerqueira César, Itaim e Pinheiros são os bairros campeões em número de bares e lanchonetes da Grande São Paulo. Pinheiros, por exemplo, tem bar que não acaba mais. Só para se ter uma idéia, alguns dos mais requisitados bares da cidade estão lá. Eles tornam a vida noturna do bairro inesquecível. Os mais recomendados são Ó do Borogodó (R. Horácio Lane, 21), Astor (R. Delfina, 193), Filial (R. Fidalga, 254), São Cristóvão (R. Aspicuelta, 533) e Melograno (R. Aspicuelta, 436). Experimente também o boteco Galinheiro Grill (R. Inácio Pereira da Rocha, 231), com seus galetos e suas mesinhas na calçada – de onde se pode conferir o movimento da região de Vila Madalena.

E A PRAÇA BENEDITO CALIXTO – Quem não conhece a feira de antiguidades da Praça Benedito Calixto, não sabe o que está perdendo. O que atrai nela não são apenas as barracas de móveis, objetos de decoração e discos antigos, mas as de alimentação. A barraca de pastel do Cícero é muito conhecida e extremamente movimentada. Os doces vendidos na praça são hits. Mas nada como conferir as feiras vizinhas (como a alternativa Como Assim?) e o movimento. Tem gente que frequenta a Benedito Calixto só para “ver gente”. De estudantes a artistas alternativos, de gente comum a personalidades, o público é bem eclético. As tardes de sábado são movimentadíssimas. Podendo, faça uma refeição no Consulado Mineiro ou tome um café no Franz, que ficam ao lado.

TEM TAMBÉM A AVENIDA PEDROSO DE MORAIS – O que a Pedroso de Moraes tem que as outras ruas de Pinheiros não tem? Resposta: sebos e livrarias. Muitos sebos, aliás! Se você é do tipo que aprecia uma boa leitura e gosta de estar por dentro das novidades literárias, visite a FNAC da rua dos Omaguás. Mas se gosta de garimpar raridades e achar boas ofertas experimente os sebos Avalovara, Universo, Dom Quixote, Alternativa e Red Star. Com exceções como o Red Star, quase todos tem endereço na Pedroso de Morais, um ao lado do outro. Muita gente faz questão de visitar a avenida aos sábados só para procurar raridades nos sebos e circular nos corredores da FNAC. Uma recomendação: a feirinha de arte em frente à FNAC também merece uma visita.

TEM ÓTIMOS ESPAÇOS CULTURAIS – Espaços de cultura e arte como a Casa de Cultura de Israel (R. Oscar Freire, 2.500), o Centro Brasileiro Britânico (R. Ferreira de Araújo , 741), o Centro Cultural Vila Madalena (Endereço: Rua Fradique Coutinho, 1395) e o Espaço Cultural Alberico Rodrigues (Praça Benedito Calixto, 159) são bem conhecidos dos moradores de Pinheiros. Os mais frequentados, no entanto, são o Sesc Pinheiros (rua Paes Leme, 195) com sua extensão programação cultural, e o Instituto Tomie Ohtake (Av. Faria Lima, 201). Inaugurado em 2001, o Instituto Tomi Ohtake oferece espaço para ateliês, livraria, loja de design, café e restaurante – além, claro de abrigar ótimas exposições de arte. As exposições costumam ser muito procuradas. Os visitantes mal chegam ao ITO e já ficam impressionados com as formas e cores do prédio (o projeto é de Ruy Ohtake, filho de Tomie). Vale a pena fazer uma visita.

OFERECE BONS EVENTOS – Uma pergunta: você conhece a Vila Madalena? Não? Pois experimente uma visita aos bares, restaurantes e espaços culturais da Vila. A Vila Madalena, que já foi até título de novela, possui ateliês que não acabam mais. São dezenas. Uma vez por ano, eles abrem as portas em um evento chamado Arte na Vila. Qualquer pessoa pode participar das oficinas culturais e até expôr seus trabalhos. Outro evento importante é a Feira da Vila Madalena, nas ruas Fradique Coutinho e Wisard. Ela oferece shows musicais, desfiles de blocos e… acredite, centenas de barracas de arte, artesanato e alimentação. É difícil arriscar o que impressiona mais: os shows (são mais de 30!), as barracas de artesanato ou as de alimentação. Importante: esses eventos ocorrem apenas uma vez por ano. O Arte na Vila é realizado em meados de março e a Feira da Vila por volta de agosto.

(Foto: detalhe do Instituto Tomie Ohtake)

21 de jun de 2010

OS PROGRAMAS MAIS IMPERDÍVEIS PARA SE FAZER EM SÃO PAULO




01. Provar o bolinho de bacalhau e o chope do Bar do Léo, que desde 1 940 sai religiosamente abaixo de zero grau e com colarinho, na rua Aurora, 100, em Santa Ifigênia.

02. Experimentar os docinhos de festa da doceira Di Cunto (que funciona desde 1 935), na rua Borges de Figueiredo, 61, na Mooca.

03. Devorar uma pizza calabresa no Castelões, na rua Jairo Góes, 126, no Brás, com um bando de amigos.

04. Almoçar nas bancas de comidinhas da feira de antiguidades que acontece aos sábados na praça Benedito Calixto, em Pinheiros.

05. Deliciar-se nas cantinas da Praça Dom Orione, no Bexiga, depois de passar a manhã de domingo entre as barracas da feirinha de antiguidades.

06. Circular pelas bancas do Mercado Municipal, na Avenida do Estado, e consumir, sem preocupações com os excessos, o pastel de bacalhau e o sanduíche de mortadela, além de toda a sorte de guloseimas que encontrar pela frente.

07. Comer duas das especialidades do Bar Sujinho, o frango caipira e a “chuleta”, a qualquer hora da madrugada. A salada de repolho já faz parte do couvert. Rua da Consolação, 2 063.

08. Aproveitar as noites de verão e tomar um sorvete italiano de frutas frescas numa mesa ao ar livre da sorveteria Stuppendo, na Rua Canário, 1 321, Moema.

09. Tomar vários copos de mate com leite espumante ou suco de frutas no Rei do Mate da avenida São João, 530 ou em qualquer uma das mais de 100 unidades da franquia espalhadas por São Paulo.

10. Comer qualquer item do cardápio árabe do Almanara da rua Basílio da Gama, 70, no Centro.

11. Ir ao brunch do Empório Santa Maria, na avenida Cidade Jardim, 790, aos sábados e domingos.

12. Dar um pulinho no Rancho da Empada, na Rua Sena Madureira, 357, na Vila Mariana. As empadas de camarão e palmito são inigualáveis.

13. Provar o penne com melão e presunto cru e curtir o público moderno do Spot, na rua Ministro Rocha Azevedo, 72.

14. Deleitar-se com os quindins, cocadas e beijinhos da Doceira Modelo, na rua Padre Raposo, 79, na Mooca.

15. Experimentar o tradicional bauru do Ponto Chic do Largo Paissandu, Centro.

16. Deliciar-se com os sundaes e bananas splits da sorveteria Alaska. Ela tem nada mais nada menos que 96 anos! A Alaska fica na rua Dr. Rafael de Barros, 70, no Paraíso.

17. Experimentar os sorvetes com ingrediente típicos da Amazônia na Sabor da Cor. Tem sorvete de muruci, bacuri, cupuaçu, açaí, tapioca… Fica na av. Tarumã, 378, Vila Pierina.

18. Começar  bem o dia com um café da manhã na padaria Blés d’Or, em Moema. O buffet é de encher os olhos e o estômago. Fica na rua Tuim, 653.

19. Deliciar-se com os bolos e pães preparados pelos monges do Mosteiro de São Bento. O Bolo Santa Escolástica é a melhor pedida.

20. Antes de comprar os pães, assistir a missa com cantos gregorianos. Até quem não é católico gosta de acompanhá-las. A missa ocorre todos os domingos às 10h da manhã.

21. Provar qualquer prato do Gigetto, na rua Avanhandava, 63, Bela Vista.

22. Comer as deliciosas empanadas e curtir o agitado ambiente do Bar das Empanadas, na rua Wisard, 489, na Vila Madalena.

23. Provar o sensacional filé coberto com alho do Rei do Filé da praça Júlio de Mesquita, no centro da cidade.

24. Conferir toda a tradição do Capuano, restaurante italiano fundado em 1 912. Fica na rua Conselheiro Carrão, 416, no Bexiga.

25. Degustar a dobradinha pastel de feira com caldo de cana em qualquer feira livre da cidade – de preferência na do Pacaembu (!!), que acontece de segunda a sábado em frente ao estádio.

26. Comer um beirute com pão super crocante num dos três endereços do Frevinho. Um deles fica no shopping Iguatemi.

27. Experimentar o melhor da culinária peruana – inclusive o tradicional ceviche – no restaurante La Mar Cebicheria. Endereço: rua Tababupã, 1 410, Itaim Bibi.

28. Tomar café expresso com pão de queijo no Café Girondino, ao lado do Mosteiro de São Bento. Rua Boa Vista, 365.

29. Comer até se empaturrar no rodízio da churrascaria Fogo de Chão, na avenida Moreira Guimarães, 964, em Moema.

30. Tentar descobrir quem tem a melhor esfiha, o Jaber ou o Catedral. Os dois ficam quase lado a lado, na rua Domingos de Morais, no Paraíso – o Jáber no número 86 e o Catedral no 54.

31. Provar o porpettone com mussarela do Jardim de Napoli, na Rua Dr. Martinico Prado, 463, em Higienópolis.

32. Aproveitar a visita ao Parque D. Pedro, no Centro, para conhecer o Espaço Catavento. A ala com brinquedos que ensinam física é imperdível.

33. Tomar um breakfast supernatureba no Parque da Água Branca aos sábados de manhã e aproveitar para visitar a feirinha de produtos orgânicos local.

34 – Esperar o mês de setembro para visitar a feira Revelando São Paulo, no mesmo Parque da Água Branca. Tem artesanato e comidas típicas de todas as regiões do estado de São Paulo.

35. Deliciar-se com as bombas recheadas com chocolate branco da Doceria Cristallo. Rua Oscar Freire, 914 e outros endereços.

36. Correr para a Vila Madalena para comer (quase ao ar livre) em algum dos pontos mais concorridos do bairro, como o Bar do Sacha, o Consulado Mineiro ou o Jacaré!!!!

37. Experimentar a pizza do Pedaço da Pizza. O melhor: fica aberto até altas horas da madrugada. Fica na Rua Augusta, 2931. Telefone:(11) 3891-2431.

38. A mesa absurdamente farta da As Noviças. Nessa casa de chá em Moema, o cliente paga um preço fixo e tem direito a pães, bolos, salgadinhos, doces, chás, sucos... Endereço: avenida Miruna, 442, Moema.

39. Assistir a um concerto na Sala São Paulo, na antiga estação Júlio Prestes, que tem uma das melhores acústicas da América Latina.

40. Assistir a uma peça, um balé ou um concerto no Teatro Municipal.

41. Assistir a qualquer filme na Sala Cinemateca, que fica no antigo matadouro da Vila Mariana, na rua Senador Raul Cardoso, 207.

42. Ir ao Teatro Alfa, ao lado da ponte Transamérica da marginal Pinheiros, para curtir qualquer um dos espetáculos sensacionais que acontecem no local. R. Bento Branco de Andrade Filho, 722.

43. Apreciar o fantástico acervo permanente do MASP. Avenida Paulista, 1 578.

44. Ir a um ensaio da escola de samba Vai Vai. A quadra fica na Praça 14 Bis, no Bexiga.

45. Conferir a programação do Centro Cultural Banco do Brasil, na rua Álvares Penteado, 112, Centro.

46. Assistir os clássicos e filmes alternativos do Espaço Itaú, reduto dos cinéfilos paulistanos. Fica na Rua Augusta, 1 475, Consolação. Tem também no shopping Frei Caneca, com filmes mais comerciais.

47. Conferir as obras de arte do MAM (Museu de Arte Moderna), que fica dentro do Parque do Ibirapuera, e do MAC (Museu de Arte Contemporânea), no antigo Detran.

48. Conhecer o Museu Lasar Segall, que funciona no imóvel que serviu de residência ao artista até sua morte, em 1 932, na rua Berta - que abriga as primeiras construções modernistas do Brasil.

49. Visitar o Museu de Arte Sacra, na avenida Tiradentes, 676, e...

50. ...aproveitar o passeio para conhecer a Pinacoteca do Estado, também na avenida Tiradentes. A entrada é gratuita aos sábados.

Clique aqui para continuar lendo o texto.

26 de mai de 2010

LINHA 4 DO METRÔ - INFORMAÇÕES TURÍSTICAS


A inauguração das duas primeiras estações (Paulista e Pinheiros) da Linha 4 – Amarela do Metrô de São Paulo em 25 de maio de 2010 causou enorme expectativa. Enfim, depois de quatro anos de obras, a cidade ganhava uma nova linha de metrô. Fazia oito anos que São Paulo não inaugurava nenhuma linha.
A Linha 4 é a mais moderna da América Latina. Ela oferece diversas novidades como internet sem fio de alta velocidade, ligação entre um vagão e outro e trens automáticos. Os trens não possuem condutores, eles são controlados em uma central no Pátio Vila Sônia. O intervalo entre os trens é de cerca de 75 segundos, enquanto nas demais linhas é de 90 segundos. De resto, as novas estações lembram a estação Sacomã da Linha 2 – Verde, considerada até então a mais moderna do sistema metroviário paulistano. Foram instaladas portas de vidro entre a plataforma de embarque e os trilhos, que abrem e fecham ao mesmo tempo que as portas do trem. As catracas normais foram substituídas por catracas automáticas com bloqueio de vidro.
Por enquanto, as estações Paulista e Faria Lima funcionarão entre 9h00 e 15h00. Terminada a fase de teste, elas abrirão e fecharão no mesmo horário que as demais estações de metrô. Assim que começar a funcionar normalmente, a estação Paulista terá uma ligação com a estação da Linha 2 – Verde através de esteiras.
A Linha 4 – Amarela ficará totalmente pronta em 2012. Ainda em 2010 serão entregues as estações Luz, República, Pinheiros e Butantã. A Luz estará integrada aos trens da CPTM e a Linha 1 – Azul do metrô. A República se integrará a Linha 3 – Vermelha. A Pinheiros também fará integração com os trens da CPTM
As estações da nova Linha 4 - Amarela serão: Luz, República, Higienópolis/Mackenzie, Paulista, Oscar Freire, Fradique Coutinho, Faria Lima, Pinheiros, Butantã, São Paulo/Morumbi e Vila Sônia.
Como o Vem Ver Sampa é um blog sobre passeios e turismo em São Paulo, ele preparou uma lista de atrações nas proximidades de cada estação da Linha Amarela. Todos os pontos turísticos e culturais citados ficam a poucos metros novas das estações. Detalhe: não foram citadas todas as estações. Os pontos turísticos são:

ESTAÇÃO LUZ – Pinacoteca do Estado, Museu da Língua Portuguesa, Parque da Luz, Museu de Arte Sacra, Sala São Paulo, Estação Júlio Prestes e rua José Paulino.

ESTAÇÃO REPÚBLICA – Feiras de artes da Praça da República e rua Marquês de Itu, Largo do Arouche, Edifício Itália, Edifício Copan, Praça Dom José Gaspar, Galeria do Rock e Teatro Municipal.

ESTAÇÃO HIGIENÓPOLIS/MACKENZIE – Teatro Anchieta, Sesc Consolação, Cemitério da Consolação, Centro Cultural Maria Antônia. Bairro de Higienópolis com a charmosa Praça Vilaboim e o atraente Parque Buenos Aires.

ESTAÇÃO PAULISTA – Lojas de luminárias da Rua da Consolação, HSBC Belas Artes, Cemitério da Consolação. Avenida Paulista!

ESTAÇÃO OSCAR FREIRE – Rua Oscar Freire, um dos endereços mais sofisticados da cidade.

ESTAÇÃO FARIA LIMA – Shopping Iguatemi, Instituto Tomie Ohtake, Rua Teodoro Sampaio (importante ponto moveleiro da cidade), Sesc Pinheiros, Praça Benedito Calixto.

ESTAÇÃO BUTANTÃ – Estádio do Morumbi, Instituto Butantã.

ESTAÇÃO SÃO PAULO/MORUMBI – Estádio do Morumbi, shopping Butantã.

(Para mais informações sobre o metrô de São Paulo, entre aqui)

18 de mai de 2010

FOTOS DA VIRADA CULTURAL

Antes de tudo, eu gostaria de fazer um pequeno protesto. Ele diz respeito a sujeira deixada pela multidão e ao vinho barato (e de quinta categoria) consumido aos litros durante a Virada Cultural. Podemos nos divertir e ter histórias para contar sem consumir esse tipo de coisa. E, claro, podemos ir a uma festa da dimensão da Virada sem deixar rastros de sujeira pelo caminho. Ao invés de jogar latas de refrigerante, copos e papéis no chão, o ideal seria procurar uma lixeira. Na falta de uma lixeira, vamos procurar outra. Na falta da outra, vamos procurar um local onde podemos depositar o lixo civilizadamente. Eu já levei embalagens de comida para depositar no lixo de casa. Melhor do que emporcalhar a cidade e atrair ratos e enchentes.
Quanto aos eventos da Virada, foram mais de mil atrações em diversos pontos da cidade. Como não sou o Flash, nem o Multi-Homem (lembra do desenho Os Impossíveis?), só consegui acompanhar alguns shows. O melhor show foi, sem dúvida, o do Titãs. E não só pelo repertório da banda, mas pela qualidade do som. Outro show imperdível foi o do ABBA cover, na Praça Júlio Prestes. Um motivo? A platéia. Poucos shows conseguiram reunir tanta gente e tantas gerações juntas.
Quem gosta de música brega e retrô não pode perder os shows da região da Vieira. Cantores populares e ídolos de outras épocas tem sempre um palco reservado para eles durante a Virada Cultural. Nesse anos se apresentaram Vanusa, Ângelo Máximo, Wanderléa, Sidney Magal e outros.
As fotos abaixo são de um show de samba na Praça da República, do show do ABBA na Júlio Prestes, de Wanderléa no Arouche e do Titãs na São João. Há também imagens de apresentações na Praça do Correio e Largo do Arouche.
Inclui ainda fotos do "encontro nerd" na Praça Roosevelt - com steampunks e trekkers - e das performances e apresentações no Vale do Anhangabaú.
O melhor local para as famílias é, obviamente, o Anhangabaú. Pais, mães, tios, avós e crianças podem acompanhar apresentações circenses, performances e shows infantis sem muitos problemas. É também um bom local para tomar sol, curtir o dia e fotografar. Sempre que for ao Anhangabaú durante a Virada, leve uma câmera. Vale mesmo a pena.





















13 de mai de 2010

COMO CURTIR SÃO PAULO ANTES DA PARADA GAY


A Parada do Orgulho Gay (ou GLS, ou GLBT, ou GLBTT) é um dos eventos que atrai mais turistas a São Paulo. O público da Parada de 2009 foi estimado em três milhões de pessoas, perdendo apenas para a Virada Cultural que, nas 24 horas ininterruptas de shows, atrai quatro milhões de espectadores.
Os eventos da Parada Gay começam normalmente uma semana antes da parada propriamente dita – que ocorre no domingo após o Dia de Corpus Christi (em 2010 será em 6 de junho). No feriado de Corpus Christi acontece a chamada Feira Cultural, armada no Vale do Anhangabaú. Muitos turistas que vem participar da Parada costumam chegar a São Paulo dias antes para aproveitar o feriado prolongado na cidade. Boa parte pretende conhecer a Feira Cultural e conhecer as casas noturnas e bares voltados para o público GLS. Um grande grupo, porém, vem conhecer e curtir os pontos turísticos da cidade.
O Vem Ver Sampa idealizou um roteiro para quem gostaria de aproveitar as ruas comerciais, feiras, parques, museus e monumentos de São Paulo. Com ele, o turista GLS pode curtir aquilo que São Paulo oferece de melhor e descobrir como a cidade - que é muito mais do que um aglomerado urbano com poluição e trânsito acima do normal – pode ser fascinante.
Começaremos pela própria Avenida Paulista, principal corredor da Parada Gay.

AVENIDA PAULISTA – O melhor dia para visitar a Paulista é o domingo. O problema é que, com a Parada Gay, a maior parte dos centros culturais, bares e lojas da região permanecerá fechada. O consolo é que dá para aproveitar alguma coisa no dia anterior. Masp, Parque Trianon, shopping Center 3, livraria Cultura, FNAC e shopping Paulista estarão abertos no sábado. A melhor sugestão de passeio ainda é o MASP, o maior museu de arte da América Latina. Outro lugar interessante é o Center 3. Realizada aos sábados e domingos nos corredores do shopping, a feira oferece toda sorte de roupas e produtos altenativos. Localizado em frente ao shopping, o Conjunto Nacional é endereço de uma das melhores livrarias de São Paulo: a Livraria Cultura. Além de livros nacionais e importados, CDs e DVDs, revistas e gibis à venda, a Cultura possui um dos mais charmosos e descolados cafés da cidade. A livraria de artes também é imperdível. Os visitantes podem passar horas folheando livros sem serem importunados. O Parque Trianon também é uma boa sugestão de passeios. Os turistas ficam deslumbrados com a quantidade de espécies de Mata Atlântica em pleno coração financeiro de São Paulo.

MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA – O melhor dia para visitar o Museu da Língua Portuguesa é o sábado. Pena que também é o dia em que as filas são maiores. Mas vale a pena! O museu é totalmente interativo e diferente de tudo o que já vimos. Outra vantagem é a localização. O Museu da Língua Portuguesa está a poucos metros da excelente Pinacoteca do Estado e do imperdível Parque da Luz. Não esqueça de levar uma câmera! A arquitetura da Estação da Luz e o jardim de esculturas do parque merecem alguns cliques. Algumas áreas da Pinacoteca do Estado também estão liberadas para os cliques. Um detalhe: a entrada é gratuita aos sábados.

SHOPPING MORUMBI – O Vem Ver Sampa poderia indicar diversos shoppings, entre eles o gigantesco Center Norte e o sofisticado Anhembi. O blog optou por indicar o Morumbi por diversos motivos, um deles é o tamanho. O Morumbi é um dos maiores shoppings centers de São Paulo. Além do enorme mix de lojas, o shopping possui uma grande área de lazer e um imperdível espaço gourmet na praça de alimentação. Leve um dinheiro, talão de cheques, cartão de crédito, enfim, esteja preparado por que você não vai resistir e sentar em uma das mesas da praça. Outra vantagem é que o Morumbi fica ao lado do charmoso Market Place. Para ir de um shopping a outro, basta atravessar a rua. O shopping Morumbi fica na avenida Roque Petroni, 1.089, a poucos metros da estação de trem Morumbi.

PARQUE DO IBIRAPUERA – Vir a São Paulo sem conhecer o Ibirapuera é como ir a Nova Iorque sem visitar o Central Park. O Ibirapuera é muito mais do que um parque. Com seus museus, monumentos e jardim de esculturas (além de muita gente bonita), é uma excelente sugestão de passeio. Aproveite para visitar o Museu de Arte Moderna e sua charmosa loja de souvenires (alerta: ela é um pouco careira). Veja também o obelisco e o Monumento às Bandeiras. Se dispuser de tempo, não deixe de visitar o planetário. O Jardim Japonês e o Viveiro Manequinho Lopes também merecem uma visita. Mas nada melhor do que curtir o feriado prolongado nas margens do lago e entre as árvores. É garantia de distração e sossego. No coração da metrópole.

BAIRRO DA LIBERDADE – Um dos locais mais indicados pelo Vem Ver Sampa é a Liberdade. E não sem motivos. As lojas da Liberdade são muito simpáticas. Vendem todo tipo de produto importado de países como China, Coréia do Sul e, claro, Japão. A moda agora na Liberdade são os sorvetes coreanos Melona. Nove de cada dez lojas vendem os cremoso Melona nos sabores Banana, Morango e Melão, além de outros tipos de sorvetes. As melhores lojas são a Casas Bueno e Marukai, além do mercadinho Hime-ya. A feirinha de final de semana da Liberdade é imperdível. É possível visitá-la no período da manhã, comer um yakissoba preparado na hora e tomar o metrô direto para a Paulista. Veja o post sobre a Liberdade e confira se não vale a pena a visita.

25 DE MARÇO E ADJACÊNCIAS – A 25 é imperdível, principalmente para quem pretende adquirir acessórios com vistas a “abalar” na avenida. Experimente visitar a Ladeira Porto Geral, o principal ponto de vendas de fantasias na cidade. Além de fantasias, há todo tipo de acessório de carnaval à venda: antenas, óculos, colares, chapéus… Em virtude da Copa do Mundo da África do Sul, predominam as fantasias e acessórios verdes e amarelos. Na 25 de Março, uma das melhores lojas é a Armarinhos Fernando. Com exceção de aviões, carros e iates, você encontrará de tudo. O Armarinhos Fernando possui duas filiais na região. Para comprar lembrancinhas baratas, veja a Minas. Lembrancinhas um pouco sofisticadas, pedem uma visita à Free Free. Utensílios para o lar e cama, mesa e banho podem ser comprados na Doural. E já que você estará na 25 de Março, aproveite para visitar o Mercado da Cantareira (conhecido como Mercado Municipal). Experimente o pastel de bacalhau, se puder. Ele vale por uma refeição. E mesmo que não goste (vou ser sincero: às vezes vem com muito sal!!), você poderá dizer que foi ao Mercado Municipal e comeu o famoso pastel de bacalhau. Todo mundo já ouviu falar. A estação de Metrô mais próxima (com saída para a Porto Geral) é a São Bento da Linha Azul – 1.

MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA – Localizado ao lado do Terminal Barra Funda de trem, ônibus e metrô, o Memorial da América Latina é um dos pontos turísticos mais procurados em São Paulo. Mais por sua arquitetura do que por suas atrações! É possível visitar o Memorial inteiro em menos de meia hora. Mas já que estará por perto, visite o Parque da Água Branca e os shoppings West Plaza e Bourbon. O Bourbon é um dos mais novos e mais sofisticados shoppings de São Paulo. A praça de alimentação é atraente e oferece uma boa variedade de lanchonetes fast food. Uma observação: a caminhada do Memorial ao Bourbon leva mais ou menos 20 minutos.

PRAÇA BENEDITO CALIXTO E PINHEIROS – O bairro de Pinheiros é conhecido pela boêmia. Vir a São Paulo sem visitar os bares e restaurantes da região é um pecado. Pinheiros possui mais bares do que muitas cidades Brasil afora. Mas, como a sua preferência será pelos bares da Consolação e Vieira de Carvalho, experimente bater perna no bairro durante o dia. O Vem Ver Sampa sugere a feira de antiguidades da Praça Benedito Calixto (veja o post sobre as melhores feiras de São Paulo). Além de móveis, objetos, livros e quinquilharias antigas, a feira da Benedito Calixto oferece barracas de alimentação. Há muitos bares e restaurantes ao redor da Praça. Se quiser andar um bocado, veja as lojas de móveis da rua Teodoro Sampaio e os sebos da Pedroso de Morais. Se puder, visite a megaloja FNAC da Praça dos Omaguás. Um lembrete importante: a Feira de antiguidades funciona apenas aos sábados.

22 de abr de 2010

VEM VER O ABC: DICAS DE PASSEIO E TURISMO NA REGIÃO


A região do ABC é uma das mais populosas regiões da Grande São Paulo. Formada pelos municípios de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, ela se tornou conhecida pelo seu parque industrial.
Ao contrário do que muitos imaginam, o ABC não é um aglomerado de cidades industriais com enormes bairros-dormitório. Ele é muito mais do que isso. O ABC possui centros comerciais dinâmicos – com destaque para os shoppings Metrópole, ABC e Grand Plaza. Tem uma vida noturna dinâmica, parque atraentes, atrações culturais imperdíveis e um grande número de pontos turísticos.
Dessa vez, o Vem Ver Sampa resolveu fazer um roteiro do que o ABC oferece de melhor, da agitada avenida Kennedy, em São Bernardo, a tranquila vila de Paranapiacaba, em Santo André. Para chegar lá, é só pegar as rodovias Imigrantes e Anchiete, a Avenida do Estado ou o trem que liga o bairro da Luz na Capital a Rio Grande da Serra.
Aliás, você conhece Paranapiacaba?

Paranapiacaba – O Festival de Inverno de Paranapiacaba atrai todos os anos milhares de turistas para essa vila de Santo André. O Festival ocorre sempre nos meses de julho, quando a neblina e a garoa são constantes. Mas não é preciso esperar julho chegar para curtir Paranapiacaba. A vila oferece atrações o ano todo. Uma das mais procuradas atrações é justamente a área verde que fica ao lado. As trilhas levam a cachoeiras, montanhas e grandes e selvagens trechos de Mata Atlântica. As caminhadas levam, no mínimo, duas horas. Elas só podem ser feitas com guias locais. Não deixe de levar protetor solar e repelente de insetos, eles são muito úteis. Não esqueça também da câmera fotográfica. No mês de abril é realizado o delicioso Festival do Cambuci. Construída por operários ingleses, a vila é um charme. Para chegar, basta pegar o trem até Rio Grande da Serra e embarcar no ônibus para Paranapiacaba. Ela merece ser fotografada. Por falar nisso, você conhece a Estrada Velha de Santos?

Estrada Velha de Santos – Situada entre os municípios de São Bernardo do Campo e Cubatão, a famosa Estrada Velha de Santos é parte do Parque Estadual da Serra do Mar. As visitas devem ser agendadas pelo telefone (11) 3333-7666. O ingresso custa o equivalente a R$ 15,00. Detalhe: nas quintas, paga-se apenas R$ 1,00. Os passeios são acompanhados por guias turísticos que contam todos os detalhes da fauna, flora e das construções ao longo das curvas da Estrada Velha. É um programa para o dia todo. Leve um tênis confortável, além de repelentes e câmera fotográfica. Nos dias sem neblina, a vista do litoral é de tirar o fôlego. Vale a pena. Por falar nisso, você já ouviu falar do Parque de Esportes Radicais?

Parque de Esportes Radicais (Parque da Juventude) – Esse sim, é de tirar o fôlego. Situado ao lado do Paço Municipal de São Bernardo do Campo, o Esportes Radicais não é propriamente um parque, mas uma grande área de lazer. A maior atração do Parque são as pistas de skate, consideradas as melhores da Grande São Paulo. O parque possui uma marquise de onde os pais (ou os curiosos) podem acompanhar as manobras radicais da garotada. Quem quiser, pode praticar tirolesa e escalada. Para as crianças, há um delicioso playground. Depois do parque, você pode fazer compras, pegar um cinema ou comer um lanche no shopping Metrópole, localizado ao lado. Famoso pólo moveleiro do ABC, a rua Jurubatuba também fica a poucos metros. A Cidade da Criança é outra atração. Você já ouviu falar na Cidade da Criança?

Cidade da Criança - A Cidade da Criança é um dos mais antigos parques do ABC. Conta-se que foi construída em 1968 a partír de cenários usados na novella Redenção, da extinta TV Excelsior. Localizada a poucos metros do Km 18 da Via Anchieta, a Cidade da Criança tem como vizinho os ilustres (e lamentavelmente abandonados!!!) estúdios de cinema da antiga Vera Cruz. Em 70 hectares de área verde, o parque oferece uma variada opções de brinquedos como teleférico, mini-submarino, carrossel e gira-gira. Há uma réplica do Teatro Amazonas e um avião para as crianças conhecerem. A entrada da Cidade da Criança é gratuita e ela funciona de terça a domingo das 9h00 as 17h00 horas. Outro parque interessante para as crianças é o Sabina, em Santo André. Você já ouviu falar?

Parque-Escola Sabina – O Parque-Escola Sabina é um parque multidisciplinar dedicado às ciências de um modo geral. As crianças (e mesmo os adultos) podem aprender noções de matemática, física, química, biologia e até paleontologia se divertindo. O público-alvo são os alunos da rede pública de Santo André, que são orientados o tempo todo por monitores. Mas quem não mora em Santo André e mesmo quem já deixou o ensino fundamental há muito tempo pode visitar o parque. As atrações mais chamativas são os esqueletos de dinossauros e o “pinguinário”. A boneca gigante que simula o trajeto dos alimentos no corpo também chamam muito a atenção. Os visitantes normalmente voltam para casa com boas noções de ciência e com belas histórias para contar para os amigos. O Sabina é uma experiência incrível. Detalhe: ele lembra muito o Estação Ciência e o Espaço Catavento, em São Paulo. O Sabina fica no bairro Paraíso, em Santo André - próximo ao hospital Mário Covas e o shopping ABC. Por falar em Santo André, você conhece a Rua das Figueiras?

Rua das Figueiras – Próxima à famosa avenida Dom Pedro, em Santo André, a Rua das Figueiras é conhecida pela movimentada vida noturna. É um dos endereços mais procurados pelos boêmios do ABC. E não sem motivos. A Rua das Figueiras possui uma das concentrações de bares e casas noturnas mais interessantes da Grande São Paulo. Um dos bares mais conhecidos é o Figueiras (que também possui filial em São Bernardo). A Rua das Figueiras também é endereço de uma das melhores casas noturnas da região, o Mezzanine Lounge. Outros pontos bastante conhecidos são a Água Doce Cachaçaria e o Bella Vista Bar. A rua é muito procurada por quem curte uma paquera e por quem gosta de ver gente bonita. É mais ou menos como a avenida Kennedy, em São Bernardo. Você conhece a avenida Kennedy?

Avenida Kennedy – Liverpool, Pharello, Bar Central, La Revolución, Bistecaria Berlim e Bar Figueiras são algumas das atrações dessa avenida de São Bernardo. Localizada próxima ao quilômetro 18 da Via Anchieta, a avenida Kennedy é um tradicional endereço da vida noturna do ABC. Só para se ter uma idéia, o Liverpool existe há cerca de 20 anos. Com ares de pub, ele é procurado até por moradores da Capital. Quando visitar a Kennedy, aproveite para conhecer o bar Giramundo e a casa noturna Vera Cruz. Localizado na rua Olegário Herculano, uma travessa da Kennedy, o Giramundo ficou famoso pela cozinha diversificada, múltiplos ambientes e espaço (bastante) extravagante. O Vera Cruz, no início da avenida Índico, é um bar e danceteria alusivo aos antigos estúdios da Cia Vera Cruz de cinema. Só para não esquecer: em frente ao Vera Cruz há um bar e restaurante sofisticado e charmoso chamado Pimenta.

Para terminar, três protestos:
- Os estúdios da Vera Cruz continuam abandonados. Eles bem que podiam ser usados como pólo de atração turística da região, mas só são requisitados para feiras e para eventuais filmagens.
- O Golden Shopping, na avenida Kennedy foi quase inteiramente demolido para dar lugar a um shopping chamado Golden Square Shopping. O problema é que até hoje só encontramos uma carcaça abandonada. Pelo visto, o Golden Square ficará paras as olimpíadas de 2016.
- Outro local entregue ao tempo é o Parque Estoril, no distrito de Riacho Grande, também em São Bernardo. Quem conheceu o Estoril há alguns anos atrás ficará chocado com o estado do mini-zoológico, do teleférico e do playground. Quanto aos banheiros públicos, é melhor passar longe.

14 de abr de 2010

FOTOS DE SÃO PAULO

Eu sempre relutei em criar uma galeria de fotos para o Vem Ver Sampa. Mas, acho que sairia perdendo se não compartilhasse elas com os visitantes e os seguidores do blog. São fotos tiradas por mim durante visitas aos pontos turísticos de São Paulo.
Espero que gostem.
Se quiserem ver mais fotos, vejam o meu Flickr.

Avenida Paulista


Estação Júlio Prestes


Estação da Luz


Largo do Arouche


Museu do Ipiranga


Edifício Copan


Palácio das Indústrias


Pátio do Colégio


Ponte Estaiada Octavio Frias de Oliveira


Vale do Anhangabaú


Centro Cultural São Paulo


Largo de São Francisco